Estudante rio-pretense vence prêmio nacional de obras literárias

"Eu levei uns três dias para produzir meu texto. Eu me apoiei em livros e textos da internet que já li, para escrever"

Camily Milsoni Rodrigues do oitavo ano do Ensino Fundamental II obteve a primeira colocação na Categoria V – Entrevista, com a obra “Entrevista com a água”. O objetivo da ação é incentivar a leitura e a escrita dos alunos. Júlia Vanderlei Soares, também rio-pretense, pegou o 6º lugar no ranking.

Atualmente é comum ver jovens utilizando celulares e dificilmente com um livro na mão, praticando o hábito da leitura ou até mesmo apreciando a arte da escrita. Mas, na contramão deste cenário, uma estudante rio-pretense de apenas 13 anos foi a campeã de um concurso nacional de obras literárias. A competição envolvia escolas particulares e foi promovida pelo Sistema de Ensino Poliedro, numa iniciativa de valorizar as produções artísticas dentro das escolas.

Camily Milsoni Rodrigues do oitavo ano do Ensino Fundamental II obteve a primeira colocação na Categoria V – Entrevista, com a obra “Entrevista com a água”. Neste ano, com a 5ª edição do concurso, a proposta era estimular ações que podiam expressar a arte no contexto social a partir do tema “Somos Água”. O intuito era de aprofundar os conhecimentos dos estudantes sobre o 6º objetivo da Organização das Nações Unidas (ONU) para transformar o mundo: Água Potável e Saneamento que tem como meta assegurar a disponibilidade e a gestão sustentável da água e do saneamento para todos até 2030.

A estudante se sentiu surpresa com a premiação e disse que produziu sua obra baseada em leituras de livros e textos lidos da internet. “Eu levei uns três dias para produzir meu texto. Eu me apoiei em livros e textos da internet que já li, para escrever. Fiquei muito feliz e surpresa com a premiação, era algo que não esperava”, comentou Rodrigues.
Jussara Ferreira Campos, diretora da escola Intelectus em Rio Preto, onde a adolescente estuda, comenta que o estímulo começou na sala de aula, com o apoio dos professores. “É muito gratificante e um orgulho para a escola essa premiação. Com o apoio dos professores os alunos produziram os textos em sala de aula e o hábito da leitura os auxiliou na criatividade e também no desenvolvimento dos alunos”, disse Campos.
Outra aluna da mesma escola também foi premiada e ficou em 6° lugar. Júlia Vanderlei Soares, é da mesma sala de Camily e já é a segunda vez que foi premiada nesta competição, ano passado a jovem ficou em quarto lugar.

Uma comissão julgadora especializada avaliou os trabalhos e os vencedores receberão os prêmios exclusivos para cada área, como medalhas e certificados. Os prêmios serão enviados às escolas em novembro.

Incentivo educacional

Com abrangência nacional, o concurso Poliedro Arte & Cultura, promovido pelo Sistema de Ensino Poliedro, teve participação recorde com mais de 10 mil trabalhos inscritos por alunos de mais de 80 escolas parceiras de todo o Brasil. “Nosso objetivo é valorizar e incentivar as iniciativas das escolas no fomento à arte, além de desenvolver e estimular as capacidades cognitivas, afetivas e sociais dos alunos”, afirma Altamar Roberto de Carvalho, gestor educacional do Sistema de Ensino Poliedro.

Por Priscila Carvalho

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS