Estrada da Unitra é recuperada em força-tarefa da Prefeitura com a comunidade

Manutenção das estradas rurais é importante para conservação do solo e garantia de locomoção, assim como para prevenção de erosões e assoreamento de córregos e mananciais.

A Prefeitura de Rio Preto recuperou recentemente 1 quilômetro de estrada rural na Estância Unitra. O gerente Gerson Júnior da Silva mora há 20 anos nessa região rural que abriga 90 famílias. Ele e outros moradores participaram de reuniões de associações de bairros realizadas mensalmente pela Prefeitura. Na ocasião, puderam falar com o prefeito Edinho Araújo sobre a questão envolvendo a estrada local.

“No período de chuva, a estrada ficava barrenta e não tinha como passar, pois o rio invadia e virava uma coisa só. Daí, fomos nessa reunião e pedi ao prefeito que se lembrasse da Unitra. Na hora, ele chamou alguns secretários e pediu que vissem como resolver a questão”, conta Silva.

De lá pra cá, a conversa evolui para uma soma de forças da comunidade e as secretarias de Agricultura e Abastecimento e a de Serviços Gerais. “Trouxemos 300 toneladas de material reciclado na nossa usina, além de alguns maquinários para somar à frota e à experiência dos técnicos da Secretaria de Agricultura”, explica o secretário de Serviços Gerais, Ulisses Ramalho.

Os moradores da Unitra também colaboraram com a compra de 200 toneladas de brita para realização do trabalho. Para o secretário de Agricultura e Abastecimento, Pedro Pezzuto, o mais emblemático é a mobilização conjunta do poder público e a comunidade. “Finalizamos um projeto extremamente necessário para o bairro, que sofria com alagamentos e dificuldade de locomoção, inclusive no transporte de alunos. Pudemos fazer o serviço com um custo baixo e possível, atendendo a necessidade da população. Nosso objetivo é priorizar sempre o trabalho integrado”, comenta.

Tão importante quanto os acessos de transporte é o cuidado com direcionamento das águas que passam por ali. “Além do manejo do solo, para dar estabilidade e garantir tráfego seguro, nossa preocupação também é dar a drenagem da água da estrada. Isso porque precisam ir para as bacias de captação – construídas por nós –, penetrando no lençol freático, que alimenta nossas minas.

Quando isso não acontece, a água provoca erosão na estrada e consequentemente assoreamento do Córrego dos Macacos, que desemboca na Represa Municipal”, afirma o agrônomo responsável pela obra, José Cezar Zoccal.

Bento Truzi também mora na Unitra, onde cria gado e aves, e acredita que a nova estrada vai melhorar muito a vida de quem vive na região. “Já teve época de chuva que fiquei com carreta carregada de frango por 12 horas. Como é uma carga viva e sensível, perdi a mercadoria. Agora, do jeito como está sendo feita, acredito que a estrada vai ficar boa”, avalia.

 

Da REDAÇÃO

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS