Estoque zerado: Rio Preto tem falta de vacina pentavalente nas UBS

vacinação - A jornalista Joseane Teixeira é mãe do pequeno Pedro Teixeira Silva

Cerca de 3600 bebês estão no aguardo por uma dose da vacina pentavalente em Rio Preto. O município não recebe o repasse das doses desde fevereiro e nas UBS já há falta da vacina. A pentavalente protege as crianças já nos primeiros meses de vida contra doenças como difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e meningite, em três doses.

Segundo a Secretaria de Saúde do município, aproximadamente 1200 crianças são vacinadas mensalmente nos postos de saúde em Rio Preto. O último repasse feito pelo Estado foi em janeiro deste ano, quando foram recebidas 513 doses, sendo que o solicitado eram 800 doses. No início do ano havia o estoque de duas mil doses, porém com a falta do recebimento da vacina em fevereiro, março e abril este estoque foi zerado.

De acordo com a Secretaria de Saúde, as vacinas disponibilizadas nas UBS do município são fornecidas pelo Estado. No momento, não há a previsão de quando o abastecimento será normalizado, no entanto a orientação é para que os pais a continuem procurando a unidades de saúde na data agendada para a aplicação de outras vacinas programadas para aquela visita.

A jornalista Joseane Teixeira, mãe do pequeno Pedro Teixeira Silva de quatro meses, tenta desde o dia 17 de março conseguir vacinar o filho com a segunda dose da pentavalente no posto de saúde do Caic, mas foi informada da falta da vacina em todas as UBS. Preocupada chegou até questionar uma enfermeira sobre a falta da vacinação na data indicada. “São três doses da vacina e elas têm que ser tomadas na data certa. A enfermeira disse que pode acabar o efeito da vacina. É bastante preocupante e não tem nem previsão de quando vai chegar”, comentou.

A pediatra Maria Carmen Lunardi Monteiro de Carvalho, chefe da UTI neonatal do Hospital da Criança em Rio Preto, orienta como os pais, cujos filhos não estejam com a vacina pentavalente em dia, devem agir. “A orientação que a gente dá é que essas mães evitem ambientes aglomerados e sair muito com a criança nessa época do ano, que começam as doenças, já que essas crianças estão com a falta dessa vacina”, explicou.

Em nota o Ministério da Saúde informou que manteve a distribuição de vacinas em todo o país e trabalha na regularização dos estoques em casos pontuais. No caso da pentavalente, foram enviadas, em março, 1,3 milhão de doses para todo o país, sendo 280 mil para São Paulo.

Em contrapartida a Secretaria de Estado da Saúde, que redistribui as doses aos municípios, afirmou que o envio das doses da pentavalente para São Paulo ocorreu com irregularidade e em quantidades insuficientes para a demanda mensal nos últimos meses. A Secretaria afirmou que a necessidade média do Estado é de 200 mil doses/mês e que o Ministério não realizou entregas nos meses de janeiro e fevereiro de 2018. Já nos meses anteriores, a entrega foi parcial, o que obrigou o Centro de Vigilância Epidemiológica a equacionar a distribuição do quantitativo nas doses regionais para abastecer devidamente o território paulista. O CVE recebeu 280 mil doses e está planejando a distribuição das vacinas.

 

Por Priscila CARVALHO

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS