Estelionatários aplicam golpes com documentos falsos e causam prejuízos de R$18,6 mil em lojas de Rio Preto

Os golpes de estelionatários têm se tornado cada vez mais comuns na região Noroeste Paulista. Eles têm usado com frequência as redes sociais, os celulares e os aplicativos para atrair e enganar as vítimas. A orientação da Polícia Civil é sempre desconfiar de qualquer situação e nunca expor seus dados pessoais à rede mundial de computadores.

Foi durante uma pesquisa no site do programa Nota Fiscal Paulista que o bacharel em direito M.A.S.F, de 24 anos, morador de Guapiaçu, soube que estelionatários usaram o nome com uma CNH falsa para aplicar golpes em lojas de departamentos e eletroeletrônicos de Rio Preto. As duas compras foram feitas no dia 27 de dezembro de 2018. Os criminosos compraram em seu nome dois aparelhos Iphones XR e 6S que juntos somam R$7,6 mil. “Levei um susto muito grande, o que me chamou a atenção é de que não perdi meus documentos;a sensação foi de total impotência total e dor de cabeça”, afirma a vítima. Imediatamente, procurou a Central de Flagrantes para registrar o boletim de ocorrência por estelionato e as lojas para pedir o cancelamento das compras. Para se proteger de novos golpes, a vítima contratou um serviço antifraude do Serasa Consumidor.

Segundo a Polícia Civil, trata-se de um quadrilha muito bem organizada que vieram de Londrina, no Paraná, para cometerem os crimes em Rio Preto. Os investigadores conseguiram o acesso das câmeras de segurança de um shopping e identificaram os integrantes do bando.Os policiais desconfiam que a mesma quadrilha aplicou o golpe no jornalista H.S.P, de 38 anos, morador de Rio Preto. Com ele, os criminosos agiram da mesma forma do primeiro caso. Usaram uma CNH falsa com os dados pessoais do jornalista e a foto de uma outra pessoa.

De acordo com a vítima, ela descobriu que havia caído no golpe quando recebeu em casa pelos Correios um boleto de cobrança de uma loja de departamentos. “Como sou muito encanado com ligações desconhecidas, mensagens por SMS, imaginei que o boleto fosse falso, mas quando decidi procurar a loja, havia sido informado que os estelionatários tinham feitos duas compras nesta loja de um shopping da Região Norte no dia 28 de dezembro, que somaram R$1,4 mil e no dia seguinte eles retornaram à loja e gastaram cerca de R$1,6 mil. O boletim de ocorrência foi registrado no último dia 4 deste mês. Neste mesmo dia, eles foram do outro lado da cidade em um shopping da região Sul e conseguiram comprar um celular avaliado em R$3 mil e objetos de eletroeletrônicos no valor de R$5 mil”, declara a vítima.

Pela internet, celular ou até mesmo pessoalmente a ação dos estelionatários é quase sempre a mesma. É envolvendo histórias com fortes argumentos que eles tentam tirar proveito financeiro. Nesses casos a orientação da polícia é desconfiar.

Como os casos estão cada vez mais frequentes e de maneira bem criativa a polícia alerta para os golpes mais comuns. “As vítimas têm de ficar alerta, manter a cautela e não fornecer dados pessoais para estranhos, para os dados não caírem na mão de pessoas com má intenção”, afirma o delegado titular Júlio Pesquero, do 1DP de Rio Preto. “Maioria dos crimes saem da internet, documentação pessoal não se coloca, além dos sites empresas idôneas tem pessoas infiltradas que fornecem  ou vendem dados dos consumidores”, finaliza Pesquero. A Polícia Civil dá dicas valiosas de como não cair em golpes:

  • 1) Golpe do Bilhete Premiado: Caso apareça alguém com um bilhete de loteria premiado, desconfie. É um golpe. O golpista diz que está precisando de dinheiro de maneira rápida, e, com a ajuda de outras pessoas (também estelionatários), enganam a vítima. A vítima dá uma quantia em dinheiro e fica com o suposto bilhete, que de premiado não tem nada.
  • 2) Torpedo Premiado: a vítima recebe torpedos SMS (mensagens via celular) informando a pessoa que ganhou um prêmio. Ela entra em contato com o número e acaba colocando crédito para algum número de celular ou mesmo depositando dinheiro em determinada conta. Os estelionatários também usam nomes de programas de televisão para enganar as vítimas.
  • 3) Falso Sequestro: a vítima recebe uma ligação no seu celular. Do outro lado da linha alguém diz que está em poder de seu filho(a) e exige dinheiro para libertá-lo(a). A pessoa não pode se apavorar, devendo fazer contato com a suposta vítima do sequestro. Outra dica: peça para o “sequestrador” perguntar ao “sequestrado” algo que só ele saiba, como o nome do seu cachorro, o número do seu celular, time de futebol preferido.
  • 4) Carro Quebrado: O estelionatário se passa por parente ou conhecido da vítima, dizendo que está com o carro quebrado e que precisa de dinheiro para o guincho ou para pagar o mecânico. Acreditando que o parente ou conhecido está com dificuldades, realiza o depósito bancário ou ainda coloca crédito de celular para supostamente realizar contato com a seguradora.
  • 5) Envelope Vazio: típico golpe realizado em transações comerciais, como na compra e venda de produtos. Ex: carros, celulares. O estelionatário faz a compra de determinado produto, realizando o pagamento via depósito em um envelope sem o dinheiro. Ele apresenta o comprovante de pagamento, a vítima entrega o produto, descobrindo mais tarde que sofreu um golpe, pois o envelope estava vazio. Dica para não cair neste golpe: confirme junto ao Banco se o valor depositado foi devidamente descontado ou se está bloqueado. Se estiver bloqueado, trata-se de Golpe.
  • 6) Confirmação de Dados: o estelionatário liga para a vítima se passando por funcionário de determinada empresa, dizendo que precisa que a vítima confirme alguns dados para fins de atualização do sistema. A vítima passa os dados e o estelionatário os utiliza para transações comerciais em nome da vítima. Dica para não cair neste golpe: nunca passe seus dados por telefone. Nunca.
  • 7) Falsa Casa da Praia: típico golpe realizado no final de ano. O Estelionatário coloca um anúncio em algum site, ofertando uma Casa para alugar na praia, colocando as fotos e um preço atrativo. A vítima entra em contato com o estelionatário, dá uma entrada (sinal) e depois o Estelionatário some. Dica para não cair neste golpe: não alugue um imóvel de uma pessoa que não é profissional na área (Corretor de Imóveis).

Da REDAÇÃO

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS