Especialistas de diversos países discutem arbovirologia na Famerp

A Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp) irá sediar um dos maiores cursos na área de arbovirologia do país. Financiado pela Fundação de Amparo À Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), o “Escola São Paulo de Ciência Avançada em Arbovirologia, será realizado de 29 de maio a 9 de junho, com financiamento no valor de aproximadamente R$ 500 mil.

Presidente da Sociedade Brasileira de Virologia e Chefe do Laboratório de Virologia da Famerp, Maurício Lacerda Nogueira comenta que a faculdade mantém parceria de longa data com instituições do exterior para estudar arbovirologia, ou seja, doenças transmitidas por artrópodes (como os mosquitos, por exemplo).

“O curso terá grande importância para embasar pesquisadores com trabalhos em andamento, além de proporcionar visão crítica e abrangente sobre a pesquisa em arbovírus, com foco especial sobre dengue, zika e chikungunya. Devido à natureza complexa destas doenças, uma vez que envolve a relação entre parasita, hospedeiro e vetor, o curso desenvolverá todas as etapas desse processo, visando beneficiar os estudos nesta área”, diz.

Dulcimar Donizeti de Souza, diretor geral da Famerp, salienta que a escolha da Famerp para sediar o evento é fruto de um trabalho ímpar na área de virologia que, liderada por Maurício, se desponta com um número vigoroso de pesquisas publicadas.

O curso é direcionado a 100 estudantes de graduação e pós-graduação, e será ministrado por 28 especialistas de 12 instituições do mundo todo, dentre elas o Instituto Pasteur Dakar, Escola de Medicina do Monte Sinai, Johns Hopkins University, , Instituto Leloir, UTMB, UNESP, USP, UFMG, Universidade do Texas, Instituto Adolfo Lutz, Universidade do Estado do Colorado e Universidade do Yale.

Entre os estudantes teremos alunos dos Estados Unidos, México, Cuba, Canada, Panamá, Colômbia, Peru, Paraguai, Uruguai, Argentina, Portugal, Inglaterra, Holanda, Alemanha, India, Tanzania e Kenia, além de diversos estados do brasil, do Amazonas ao Rio Grande do Sul.

Mais informações pelo site: http://arbovirology.famerp.br/

Da REDAÇÃO

 

SEM COMENTÁRIOS