Especialista orienta sobre os cuidados com olhos no verão

Foto- Claudio Lahos

Rio Preto é conhecido pelos verões de altas temperaturas. Nós últimos dias, o calor tem se sobressaído. Alguns termómetros da cidade chegaram a marcar os 41 graus esta semana. Devido ao sol quente e o calor excessivo, a população acaba tomando cuidado com o tipo de alimentação ingerida, consome mais líquidos, usa protetor solar para proteger a pele. No entanto, nem todos sabem que os olhos exigem uma atenção especial no verão para evitar problemas, que vão de uma simples irritação até situações mais graves como uma degeneração macular.

De acordo com Thaíssa Faloppa, especialista em Plástica Ocular, Ultra-Sonografia Ocular e Lentes de contato do HO Redentora, a exposição excessiva a radiação UV a longo prazo pode causar efeitos danosos no cristalino e células da retina, que tende a favorecer o aparecimento de doenças.  “Entre as doenças, as mais comuns estão a catarata precoce, a degeneração macular (retina), pterígio e tumores palpebrais”, exemplifica Faloppa.

Para afastar o incomodo da radiação solar, as pessoas optam por usar os óculos de sol. No entanto, a especialista orienta que é preciso ter cuidado na compra dos óculos. A atenção é necessária a fim de evitar problemas. “Na hora de comprar uns óculos de sol, é preciso saber a procedência do produto e os efeitos que ele pode ter sob a sua visão e de preferência levá-lo até um oftalmologista de confiança para confirmar se ele é recomendado para você. Fujam dos óculos falsificados!”, alerta Faloppa.

A doutora comenta que os óculos falsificados nunca devem ser uma opção, pois eles podem causar alguns danos à visão. “Além de não proteger, os óculos falsificados podem acarretar cansaço na visão e fortes dores de cabeça por não protegerem os olhos contra os raios UV. Nesse caso, seria menos danoso estar sem óculos!”, comenta Faloppa.

Segundo a especialista, a melhor lente de óculos de sol é aquela que bloqueia entre 99% e 100% das radiações UV-A e UV-B. Ela faz com que a pupila se feche como habitualmente faz ao longo do dia e assim, impede que a luz chegue com intensidade à retina. “O ideal é que as lentes sejam de cor cinza, verde ou marrom, capazes de filtrar entre 90-100% da luz visível”, orienta Faloppa.

Cuidados

Além dos cuidados básicos como higiene e consultas ao oftalmologista durante o verão, é preciso tomar cuidado com as doenças que podem ser transmitidas através da água como, por exemplo, a temida conjuntivite. “O contato direto com piscinas, rio ou mar contaminados ou com excesso de produtos químicos está entre as principais causas para o surgimento de ardência e coceira nos olhos que pode ser o início de uma infecção ou processos alérgicos”, lembra Faloppa.

Segundo a especialista, com o excesso de calor e a exposição direta aos aparelhos eletrônicos, é importante às pessoas consultarem um oftalmologista para saber se é precisa ou não usar algum colírio lubrificante. Mas, ela orienta: “lembre-se que esse colírio é um medicamento, logo, só pode ser utilizado com receita médica”. Faloppa ainda comenta: “em caso de irritação ocular lave sempre os olhos com água corrente e procure um centro médico o mais rápido possível. Não se automedique ou procure sintomas e tratamentos na internet, pois com o diagnóstico errado você pode danificar sua visão”, destaca Faloppa.

Por Leandro BRITO

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS