Escolas campeãs vão ficar de fora do Carnaval de 2019

Divulgação

As escolas campeãs do Carnaval de 2018, Unidos da Boa Vista e a vice Imperatriz Rio-pretense podem ficar de fora do desfile de rua neste ano. O imbróglio se dá por conta da não classificação das duas agremiações ao prêmio Nelson Seixas, programa de fomento à cultura, no qual destina verbas para várias atividades culturais. Para Escola de Samba, o programa financiou R$ 150 mil. O valor foi dividido entre as escolas contempladas no projeto: Acadêmicos de Rio Preto, Gaviões do Samba e Trem do Samba.

Com o impasse, grupo de vereadores busca alternativa com o poder público para encontrar medida para solucionar o impasse. De acordo com o parlamentar Pedro Roberto Gomes (PRP), o caso está sendo discutido desde o fim do ano passado. “Estamos buscando alternativas, pois o Carnaval está próximo e entendo que sem um recurso mínimo, não consegue fazer um bom desfile”, disse.

Indagado sobre a possibilidade de algum repasse por parte do Executivo para participação das duas escolas, Pedro Roberto disse que as chances são mínimas. “A chance do poder público destinar dinheiro é pequena. O que está sendo analisado é de buscar recurso na iniciativa privada, através de chamamento público, com as empresas tendo seus nomes divulgados no evento”, conta.

Para realização do Carnaval, a Prefeitura de Rio Preto irá investir cerca de R$ 600 mil em infraestrutura para o desfile de rua. O valor destinado servirá para construção de arquibancada coberta, som, iluminação, sanitários químicos, contratações de seguranças e jurados. Além do repasse dos R$ 150 mil para escolas contempladas no prêmio Nelson Seixas.

A reportagem do DHoje Interior entrou em contato com representantes da Unidos da Boa Vista e Imperatriz. Nelson Ghirotto, diretor da Unidos da Boa Vista, lamentou a ausência do desfile da agremiação no Carnaval deste ano. “Não tem como fazer um bom carnaval sem dinheiro. Estamos sem entender os motivos pela não classificação da escola no prêmio Nelson Seixas”, disse.

Perguntado em caso de uma reviravolta, a escola de samba conseguiria ir para o desfile, o dirigente foi categórico. “Fazer carnaval não é colocar um bolo para assar e pronto. Exige todo um trabalho, projeto e estrutura para levar uma escola na avenida e apresentar um grande desfile”.

Já a escola Imperatriz Rio-pretense, não descarta participação em outra cidade. “Como temos um projeto junto ao PROAC, de lei incentivo a cultura, estamos analisando desfilar em outra cidade que tenha fomento ao turismo”, esclareceu Sérgio Parada, presidente da agremiação.

O Carnaval 2019 de Rio Preto está confirmado no dia 3 de março, na avenida Duque de Caixas, em frente ao Complexo Swift.

Por Vinícius MAIA

 

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS