Escola estadual recebe nova pintura de reeducandos do CPP

Progressão Penitenciária (CPP) “Dr. Javert de Andrade” de Rio Preto finalizaram, ontem, o trabalho de pintura do prédio da Escola Estadual Professora Darcy Federici Pacheco região Norte da cidade.
O trabalho desenvolvido pelos reeducandos é realizado por meio do programa via Rápida Expresso de qualificação profissional, a pintura feita na unidade foi realizada pela primeira turma do ano de 2018, participaram 25 reeducandos. Esta ação é desenvolvida há dois anos e já qualificou 18.794 mil reeducandos, beneficiou 167 escolas e outros 189 prédios públicos, entre eles, hospitais.

“É um programa onde o reeducando recebe a qualificação para pintura predial. É um estágio onde são dadas aulas teóricas e depois práticas”,

explica o diretor geral do Centro de Progressão Penitenciária (CPP), Ademir Panciera.
A Escola Escola Estadual Professora Darcy Federici Pacheco é a quarta unidade que foi pintada pelos detentos do CPP. Além de Rio Preto, outras 12 escolas públicas ganharam um novo visual com as pinturas. Ao todo foram 325 detentos que realizaram a pintura na região oeste do estado, nas escolas públicas das cidades de: Birigui, Lucélia, Mirandópolis, Lavínia, Santo Anastácio, Presidente Prudente, Presidente Venceslau, Santa Mercedes, Pacaembu, São José do Rio Preto e Valparaíso.
Os detentos são selecionados para receber qualificação profissional, que oferece aulas práticas de pintura em prédios públicos. Essa ação é uma parceria entre a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado (SDECTI), a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), Secretaria de Estado da Educação (SEE) e secretarias municipais de educação. Nesta etapa serão contemplados 50 municípios paulistas, desde a capital até o extremo oeste do Estado.
Os cursos possuem dois módulos, divididos em 25 horas de aulas teóricas e 75 horas de práticas. As cidades foram escolhidas de acordo com a demanda de reeducandos na região. Na rede estadual, sempre nos meses que antecedem a volta às aulas, a SEE organiza atividades práticas de manutenção e limpeza nos prédios.
As atividades práticas foram realizadas entre os dias 15 e26 de janeiro. A tarefa foi realizada por 2.075 reeducandos do regime semiaberto de 59 unidades prisionais, sendo que destes, 325 pertencem aos estabelecimentos prisionais de Birigui, Lucélia, Mirandópolis, Presidente Bernardes, Presidente Prudente, Presidente Venceslau, Tupi Paulista, Pacaembu, São José do Rio Preto e Valparaíso.
“Custa para o estado, há um tempo envolvido e gera um bem para a sociedade. São feitas parcerias que leva o preso profissionalizar em vários setores. Ao longo do tempo já foram dadas aulas de eletricista, assentador de piso, confeitaria, tudo isso para que quando o reeducando sair tenha condição de trabalhar e que não sofra preconceito”, afirma Panciera.

Por Mariane Dias – Redação Jornal Dhoje Interior

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS