Escola desenvolve projeto de Valorização da Cultura Afro

Bonecas Abayomi confeccionadas por alunos (Foto: Divulgação)

A Escola de Ensino Integral Anísio José Moreira em Mirassol, através da Coordenação Geral e da Área de Ciências Humanas com os professores que dela fazem parte, com a colaboração da equipe, a parceria do trabalho voluntário de cabeleireiros e maquiadores e da Diretoria de Ensino realizou este ano o Projeto ‘Despertar da Consciência’.

O projeto tem o objetivo de desenvolver e promover o debate de valores éticos, estéticos e políticos nas relações étnicos raciais da cultura africana, bem como promover sua valorização.

Foi um período de intensa ação pedagógica envolvendo toda a escola com atividades na sala de leitura, nas aulas de arte, no clube Juvenil e em todas as disciplinas da área de humanas.

Com a colaboração das professoras de Arte foi feito um ensaio fotográfico de todos os alunos afro descendentes que aceitaram fazer fotos em uma ação afirmativa de valorização da beleza da negritude. Professores negros foram homenageados e alunos confeccionaram Bonecas Abayomi: ‘Símbolo da resistência, tradição e poder feminino negro’.

Os docentes de Humanas confeccionaram com os alunos murais com Máscaras africanas, Mosaico de paisagens africanas, instalação de Sala Sensorial: ‘Sentir a África’ e de sala com apresentação de Super Heróis negros.

A professora coordenadora Marisa Luísa Pires diz que a iniciativa do projeto começou com a equipe de coordenação da escola, em parceria com a PCNP de Arte da Diretoria de José Bonifácio.

“O principal objetivo do trabalho foi promover reflexões acerca do reconhecimento da luta e resistência dos negros, ao longo da história do Brasil e com certeza os professores e alunos desenvolveram brilhantemente’’, finaliza.

Em parceria com a sala de leitura foi desenvolvida atividade com o livro ‘Menina do laço de fita’.

Foram feitas apresentações  no auditório e quadra da escola de desfile de penteados afros realizado pelo Clube Juvenil ‘Panteras Negras’, de performances de poemas como ‘Gritaram-me negra’ e ‘Navio Negreiro’, danças e músicas típicas, algumas autorais alusivas a cultura e valorização da África como Maculelê, Samba de Gafieira e Samba Raiz.

A culminância do projeto foi realizada nesta semana e recebeu a valorosa presença de escolas públicas e particulares.

Verônica MAESTRELLA

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS