Empresa de Guapiaçu é multada em R$ 1,3 mi por queimada

A Polícia Ambiental aplicou multa no valor de R$ 1,3 milhão a uma empresa de Guapiaçu responsável por incêndio ilegal em APP (Área de Preservação Permanente), na tarde desta quinta-feira (13). O flagrante foi possível com o apoio da tecnologia já que a grande queimada, em uma propriedade rural, foi detectada através de satélite. Intitulada como Corta Fogo, a operação tem como objetivo fiscalizar focos de incêndio.

Um aparelho de GPS dimensionou a área atingida, sendo correspondente a 135,37 hectares de produção de cana-de-açúcar e 132,84 hectares de vegetação nativa. O local fica entre APP do Rio Turvo e maciços florestais. O nome da empresa não foi divulgado.

Dhoje Interior

De acordo com a Polícia Ambiental, os aceiros – barreira que serve para impedir o progresso de incêndio florestal – não estavam de acordo com a legislação.

Pela omissão na prevenção da sua área de cultivo de cana-de-açúcar e pelo incêndio, que já tinha acontecido dias anteriores e continuou na quinta-feira, o responsável foi autuado administrativamente por danificar vegetação nativa do bioma mata atlântica em APP e também responderá por crime ambiental.

A Polícia Ambiental orienta “que estamos num período de estiagem e, por isso, os responsáveis por áreas de cultivo de cana devem redobrar a atenção na prevenção e seguir as normas ambientais mantendo todos os critérios de preventivos para evitar incêndios”, diz a nota.

Tatiana PIRES – Redação Jornal DHoje Interior