Em um mês Centro Médico de Especialidades atende quase 12 mil pacientes

Desde a inauguração, há um mês, até o último dia 8 deste mês, o Centro Médico de Especialidades já ofertou 15.372 consultas. Ao todo, foram realizados 11.714 atendimentos. Porém, a chefe do Departamento de Atenção Especializada, Diene Trajano, está preocupada com a quantidade de pacientes que faltaram as consultas. 22%, pouco mais de 3.500 pacientes, não compareceram as consultas agendadas.

“É uma porcentagem altíssima. A pessoa tem que prestar atenção para não perder a consulta, porque ela acaba tirando a oportunidade de outra pessoa ser atendida”, explicou Diene Trajano.

Os números do primeiro mês de serviço do Centro Médico de Especialidades ainda mostram que os pacientes compareceram no local com o passar do tempo. No primeiro dia de atendimento 238 consultas foram ofertadas. Já no dia 8 fevereiro, quando a pesquisa foi fechada, 959 vagas foram ofertadas.

Segundo a chefe do Departamento de Atenção Especializada, 1.255 pacientes responderam a pesquisa de satisfação e 94% avaliaram os itens estrutura física, atendimento da recepção, limpeza, atendimento médico e atendimento pós-médico como ótimos. O item mais criticado foi a localização, que recebeu a avalição de 78% como ótimo, 12% bom, 5% regular e 4% ruim.

“Sobre a localização estamos organizando junto com a Secretaria do Trânsito para resolver esse problema. O que os pacientes mais reclamam é que precisam ter mais horários de ônibus”, disse.

Entre as 26 especialidades oferecidas pelo Centro Médico, a ortopedia foi a mais procurada com aproximadamente 1.400 vagas ofertadas. Na sequência aparecem dermatologia e cardiologia com 900 vagas ofertadas, otorrinolaringologia com 700, pneumologia e cirurgia vascular com 550 e neurologia com 340 vagas ofertadas.

“Temos avaliado como um ponto muito positivo, principalmente, pela questão da informatização do atendimento, que agiliza a integração com os médicos do atendimento básico. A principal vantagem é o médico do atendimento indicar para o especialista. Com o prontuário eletrônico é mais fácil para ele analisar e conhecer o paciente”, finalizou Diene Trajano.

 

Por Marcelo SCHAFFAUSER

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS