Em Rio Preto vacinação contra a gripe segue apenas para os grupos de risco

Contrário ao que foi anunciado pelo Ministério da Saúde de que a partir desta segunda-feira (5) toda a população poderia se vacinar contra a gripe, o Estado de São Paulo não aderiu à ação devido à falta de doses para a toda a população.

De acordo com o secretário de saúde de Rio Preto, Eleuses Paiva, o município aguarda o posicionamento do estado, que deve sair ainda na tarde de hoje, após definição com o Ministério da Saúde.

No momento a cidade segue com a campanha de vacinação apenas aos grupos prioritários da campanha: crianças de 6 meses a 5 anos, trabalhadores da saúde, professores, indígenas, gestantes e puérperas (até 45 dias após o parto), portadores de doenças crônicas, presos e jovens que cumprem medidas socioeducativas, funcionários do sistema prisional.

Na cidade apenas 70% do grupo de risco se vacinou contra o vírus da gripe, a meta é de que 90% seja vacinado. O secretário afirma que no momento se o município abrir a vacinação para toda a população, as doses não serão suficientes, “Se liberarmos a vacinação para toda a população as doses acabam em dois ou três dias e assim não atingimos a meta nem dos grupos de risco”.

A vacinação segue até o final da semana e no momento com ações para atingir a meta de vacinação entre o grupo de risco, “O mais coerente seria manter a vacinação entre o público alvo até o final da semana e caso ainda sobre vacinas, avaliarmos de abrir para toda a população”, completou o secretário de saúde, Eleuses Paiva.

A secretaria de saúde enviou uma nota sobre a vacinação, que segue na íntegra: 

A Secretaria Municipal de Saúde de São José do Rio Preto informa que, atendendo à recomendação da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, manterá até dia 9 de junho a vacinação somente para grupos prioritários definidos pelo Programa Nacional de Imunização. Até o momento, a cobertura vacinal entre os grupos prioritários é de 70%, sendo que a meta é de vacinar pelo menos 90%. Informamos ainda que o estoque de vacina disponível é insuficiente para atender a população em geral. A liberação da vacina para todos, como autorizada pelo Ministério, poderá acarretar a falta do produto para as pessoas com maior vulnerabilidade e que ainda não tenham se vacinado. O próprio Ministério garantiu que as pessoas retardatárias dos grupos de risco poderão receber a vacina, ao ampliar a Campanha até dia 9 de junho. Após a finalização da Campanha, caso ainda haja estoque de vacina, atenderemos a população em geral. A Secretaria Municipal está solicitando ao Estado o envio de mais doses para que possa atender a um maior número de munícipes. Assessoria de Comunicação – Secretaria Municipal de Saúde

Por Priscila Carvalho

SEM COMENTÁRIOS