Em Rio Preto foram criadas 1,8 mil vagas de empregos em 2018

O Ministério da Economia divulgou ontem o balanço final de 2018 do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que apontou que foram criados 1.836 novos postos de trabalho em Rio Preto durante todo o ano passado. Porém, o mesmo levantamento apresentou queda na criação de empregos no mês de dezembro.

Ao todo, foram 58,128 admissões em Rio Preto, ante 56.292 demissões. O setor que contribuiu para o maior crescimento na quantidade de contratações foi o de Serviços, que abriu 1.351 postos de trabalho durante o ano de 2018. O número representa 73,5% do total de empregos gerados no município.

Já o Comércio, que abriu 708 vagas de emprego com carteira assinada, e o setor de Indústria e Transformação, que contratou 140 novos trabalhadores, vieram em seguida no registro do Caged.

“Existe expectativa de melhora, mas com freio de mão puxado. É uma recuperação lenta ainda, pois o que gera emprego é o desempenho da economia, não tem jeito. Mas em Rio Preto, o efeito repercute mais positivo na média diante da complexidade econômica no município no setor de serviço, indústria e agropecuária, por exemplo”, comentou o economista Roosevelt de Souza Bormann Filho.

Apesar do saldo positivo de novos postos de trabalhos criados no município, a marca é inferior se comparado ao levantamento de 2017. Durante os 12 meses do ano, Rio Preto contabilizou 284 vagas a mais e fechou com 2.120 empregos gerados.

Na contramão

Apesar do resultado positivo na criação de empregos formais no ano passado, dezembro foi contramão das contratações, e fechou 1.259 postos de trabalho. Mesmo atingindo o maior número de novos empregos, Serviços (-585 vagas) e Indústria e Transformação (-405), foram os principais vilões do mercado de trabalho. A Construção Civil também demitiu mais do que contratou em dezembro, o setor registrou 261 desligamentos de funcionários.

Por Vinícius MAIA

 

 

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS