Em Rio Preto, 30% das microempresas devem migrar para MEI, em 2018

De acordo com uma estimativa da Receita Federal, 52 mil microempresas em todo o Brasil devem migrar e se tornarem MEI (Microempreendedor Individual), a partir deste ano. Com novas regras para o MEI, entre elas o aumento do teto de faturamento anual de R$ 60 mil para R$ 81 mil, das 172 empresas aptas a migrarem, 30% devem concluir a troca.
Em Rio Preto, segundo o consultor jurídico do Sebrae-SP, Heveraldo Galvão, a proporção deve ser a mesma. “Imagino que sim. Esse deve ser o percentual de MEs que podem transformar a empresa em MEI, e para Rio Preto a estimativa é de 30%”, disse o consultor.
A cidade, atualmente, tem 70.786 empresas ativas e teve um crescimento de 1,40% em relação a 2017. Desse total, 21.776 são MEIs, segundo os dados do site empresômetro.
“A grande vantagem das MEs migrarem para MEI é a redução tributária gigantesca. Depois podemos incluir que essas MEIs deixam a informalidade para se tornarem mais formais”, explica Galvão.
Os microempreendedores individuais são enquadrados no Simples Nacional e ficam isentos dos tributos federais (Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL).
A expectativa é que as mudanças também estimulem a economia do País, que, hoje, tem, de acordo com dados do Portal do Empreendedor, 7,7 milhões de MEI.
Segundo o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), os micro e pequenos empreendimentos representam 27% do Produto Interno Bruto e são responsáveis por 52% dos empregos formais no Brasil.

Por Marcelo SCHAFFAUSER

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS