Em clássico violento, Palmeiras vence Corinthians e fica perto do título

Jogadores do Palmeiras correm para comemorar com Borja, autor do gol, e Willian, o tento da vitória do Verdão no clássico

Corinthians e Palmeiras protagonizaram um jogo em que sobraram pontapés, confusão e cartões. Quando os times resolveram jogar futebol, a equipe alviverde foi mais eficiente e conquistou uma boa vantagem na decisão do Campeonato Paulista. Com gol de Borja, o Palmeiras venceu por 1 a 0 neste sábado, em Itaquera, e joga pelo empate, no domingo da semana que vem, para conquistar o título do Estadual.

Com o resultado, o Palmeiras pode até empatar em casa que conquista o Paulistão, após dez anos de jejum. E a semana será diferente para os rivais. Inicialmente, o time alviverde deixará de lado o Estadual e focará na Copa Libertadores, em que vai enfrentar o Alianza Lima, terça-feira, no Allianz Parque, o mesmo local da decisão do próximo domingo. Já o Corinthians terá a semana livre para tentar encontrar uma forma de superar o rival.

A partida ficou marcada pela confusão no final do primeiro tempo, entre vários jogadores dos dois clubes e que teve como protagonistas Clayson e Felipe Melo, dois jogadores de pavio curto e que aproveitaram a confusão para reacender uma polêmica que teve início no ano passado. Além da expulsão de ambos, o clássico teve ainda mais dez cartões amarelos, muitos por causa de faltas duras.

Antes da violência superar o futebol, o que se viu foi um Palmeiras mais incisivo no ataque diante de um Corinthians com dificuldades para chegar ao ataque. Em resumo, o que faltou aos mandantes era um centroavante, que foi quem fez a diferença para os visitantes. Tecnicamente, as duas equipes tiveram atuações muito parecidas, sem nenhuma grande atuação.

Logo aos seis minutos, Dudu cruzou para a área, a bola pegou efeito, bateu na trave e na sequência Willian ficou com o rebote e cruzou para Borja, o centroavante, desviar e abrir o placar, calando a Arena Corinthians e completando um roteiro. O colombiano não fez gol em nenhum clássico no ano passado e nesta temporada, já conseguiu balançar as redes diante de Santos, São Paulo e, agora, Corinthians.

Com o placar adverso, o Corinthians saiu para o ataque, sem convencer. Como aconteceu em outros jogos – inclusive diante do São Paulo – o time tinha dificuldades para abrir a defesa adversária, pois não contava com ninguém dentro da área. Mateus Vital e Maycon tentaram em chutes de fora da área, mas Jailson defendeu com segurança.

Quando parecia que o primeiro tempo acabaria sem grandes confusões e com dois times mais preocupados em jogar futebol, tudo foi por água abaixo. Em um simples arremesso lateral, Henrique e Borja discutiram e brigaram pela bola. Dudu, então, chegou empurrando Henrique e a confusão teve início. Jogadores de Corinthians e Palmeiras apareceram correndo e se empurrando, como se quisessem mostrar quem tinha mais força.

No meio da confusão, Felipe Melo e Clayson resolveram resolver desavenças do passado. No ano passado, os dois brigaram na saída para os vestiários da Arena Corinthians. Neste sábado, os dois nem se olharam antes da bola rolar, quando os jogadores geralmente trocam cumprimentos. E aproveitaram a confusão para trocar tapas. O árbitro decidiu expulsar os dois, além de dar cartão amarelo para Henrique e Borja. Os demais saíram impunes.

No intervalo, preocupado com o buraco que ficaria no meio de campo, o técnico Roger Machado colocou Moisés no lugar de Borja, que corria risco de ser expulso. Carille esperou mais dez minutos da segunda etapa para mexer no Corinthians e decidiu apostar em Romero e Pedrinho nos lugares, respectivamente, de Sidcley e Mateus Vital.

Pedrinho entrou bem pelo lado direito e aumentou a pressão corintiana. Sem referência na área, o time apostava nas jogadas pelas pontas e nos chutes de fora da área. Apostas que não surtiram o efeito esperado e fizeram Carille perder pela primeira vez para o Palmeiras, agora mais perto do título estadual.

Agência Estado

SEM COMENTÁRIOS