Em 2030 população idosa será mais de 100 mil rio-pretenses

Idosos aprovam Rio Preto como ótima cidade para se viver, mas pedem mais opções de lazer; população representará quase um quarto dos rio-pretenses em 2030

Segundo estimativa do Seade (Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados), população com mais de 60 anos, em 2030, será de 106.660 pessoas, o que representará 22,87% do total de rio-pretenses; idosos aprovam qualidade de vida da cidade e dizem que não trocam Rio Preto por nada.

Com a maior média de expectativa de vida do Brasil, 75,7 anos, os rio-pretenses acima dos 60 anos representam atualmente 15,85% da população, ou seja, 68.795 pessoas, segundo o Seade (Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados). Os dados, de acordo com a fundação, mostram que qualidade de vida do munícipio é tão boa, que em 2030, a projeção é que a cidade tenha um aumento de 55% de pessoas com essa faixa etária e chegue a marca de 106.660, representando 22,87% dos rio-pretenses.

Segundo o aposentado Antônio Mariano, 75 anos, Rio Preto é uma cidade excelente para se viver. “Rio Preto é uma cidade boa. Não tem muita malandragem. Podemos vir aqui na praça, por exemplo, e ficar tranquilos”, disse o aposentado, que também falou sobre sua atividade favorita. “Gosto de ir ao campo de bocha, jogar um pouco e ver os amigos”, afirmou.

Para o vendedor de carros, Moises Elias, 52 anos, a cidade oferece uma série de opções de saúde e lazer para a terceira idade. “Costumo sair com minha esposa, meus filhos, ir a represa, sair para comer e até andar de mula. Rio Preto é uma ótima cidade. Na única vez que saí daqui eu até passei mal”, disse o rio-pretense, que morou um ano e meio em Guarulhos.

“Não saio daqui de jeito nenhum. Não largo Rio Preto por nada. Acho que até lá (2030), a tendência, do jeito que está, é que esteja cada vez melhor. Sou apaixonado por Rio Preto”, finalizou.

 

Por Marcelo SCHAFFAUSER

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS