Eleitores demonstram indecisão para escolha de senadores durante votação

Divulgação

Mesmo com toda campanha de divulgação do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sobre o processo eleitoral das eleições de 2018, vários eleitores encontraram certa dificuldades para escolher os candidatos ao Senado. Diferentemente do que ocorreu no pleito de 2014, quando o eleitor escolheu apenas um nome para o cargo, este ano, as pessoas tiveram que votar em duas vagas de senador.

Na Escola Estadual Professor Antônio de Barros Serra, no bairro Boa Vista, alguns eleitores deixaram de votar em dois candidatos para o Senado. Fiscais da eleição que trabalharam na escola relataram que várias pessoas ficaram confusas com a opção de duas escolhas, como também, em nomes para o cargo e por isso votaram em brancos e nulos na opção.

Daniele Oliveira, vigilante patrimonial, revelou ter votado em apenas um candidato ao Senado. “Sabia que este ano seria dois votos para o Senado, mas optei em votar em apenas um candidato e anular minha segunda escolha. Foi uma decisão minha mesmo”, relatou.

A estudante Maria Edivânia dos Santos, 19 anos, contou que teve auxílio de familiares para escolher os dois candidatos para o Senado. “Como não conhecia muito sobre os candidatos e em quem votar, tive uma ajudinha de meus pais para votar ao Senado”, disse.

Os eleitores do país tiveram que escolher dois candidatos de cada Estado para o cargo. Isso acontece porque o mandato dos senadores é de oito anos, mas as eleições para o Senado acontecem de quatro em quatro anos. Assim, a cada eleição, o Congresso Nacional renova, alternadamente, um terço e dois terços de suas 81 cadeiras. Este ano 54 vagas em disputa.

Por Vinicius MAIA 

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS