Eleições 2018 – Taxa de abstenção em Rio Preto é maior do que a média nacional

Foto DIVULGAÇÃO

A eleição de domingo confirmou a vitória do deputado federal Jair Messias Bolsonaro (PSL) como presidente do Brasil nos próximos quatro anos. O capitão reformado do Exército superou nas urnas o candidato petista, Fernando Haddad, com mais de 57 milhões de votos (55,13%), contra 47 milhões (44,87%).

Além do resultado nas urnas, o segundo turno das eleições deste ano alcançou outro recorde na história do país: de maior abstenção desde 1998 – 31.370.372 de brasileiros não compareceram às urnas no domingo para votar. Esse total representa 21,3% do eleitorado brasileiro. Além disso, foram 2.486.571 (2,14%) de votos em branco e 8.607.99 (7,43%) de votos nulos. O número supera as ausências do primeiro turno em mais de 1,2 milhão.

Principal município do noroeste paulista, Rio Preto registrou número superior da média nacional de eleitores ausentes neste segundo turno: 23,13%, o que representa 76.034 eleitores desistiram de votar, do total de 328.658 mil aptos pela Justiça Eleitoral. Também na eleição, foram registrados dos eleitores da cidade 6.800 votos em branco (2,69%) e 19.535 (7,73%) de votos nulos. A somatória desses índices passa de 30%, um terço da população local.

Somados votos nulos, brancos e abstenções, os números indicam que, neste segundo turno, mais de 30% dos eleitores rio-pretenses abriram mão de escolher o novo presidente da República. Nas eleições de 2014, na disputa entre Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT), o índice de abstenção foi de 20% – mais de 67 mil eleitores rio-pretenses deixaram de votar. O número de eleitores faltosos nas urnas aumentou quase 10 mil pessoas depois de quatro anos.

Para o analista político, Rodrigo Fialho, da Universidade Estácio de Rio Preto, o alto índice de abstenção se deve à polarização do processo eleitoral. “Esse índice ficou marcado por dois lados, um deles o sistema político vigente e o outro contrário a ele. Essa polarização desenhou um cenário muito claro e engessou o eleitorado dos dois lados, além daqueles que não se sentiam representado por nenhuma das duas propostas”, aponta.
Além de Rio Preto, cidades da região também tiveram números altos de abstenção neste segundo turno. Em Olímpia, o índice atingiu 26,80% (mais de 11 mil eleitores não votaram). Votuporanga é outro município que teve registro alto índice de faltosos. Cerca de 24%, mais de 17 mil eleitores não compareceram às urnas para escolher o presidente do país.

Eleitor tem 60 dias para justificar ausência de voto
O eleitor que não pôde votar neste segundo turno das eleições e não conseguiu justificar a ausência no processo eleitoral, tem o prazo de 60 dias para regularizar sua situação pode preencher o formulário de justificativa eleitoral pela internet ou entregá-lo pessoalmente no Cartório Eleitoral de Rio Preto, localizado no Boa Vista.

Para isso, o eleitor precisa apresentar um requerimento de justificativa, com documento que comprove o motivo que o impediu de comparecer no dia do pleito. “Normalmente o eleitor tem de apresentar um atestado ou algum comprovante de que não poderia votar e não justificou”, disse o chefe do cartório da 268ª zona eleitoral, Régis Pistori.

O eleitor que não justificou o voto terá que pagar uma multa de R$ 3,51 e caso não regularize a situação com Justiça Eleitoral, o eleitor pode ficar impedido de se matricular em universidade, retirar passaporte, abrir conta, por exemplo. Nesse segundo turno, mais de 76 mil rio-pretenses não participaram das eleições.

Quem ainda não regularizou a justificativa de ausência no primeiro turno, o prazo se encerra no dia 6 de dezembro. Para aquelas pessoas que não votaram nesse segundo pleito, o prazo da justificativa termina no dia 27 de dezembro.

 

Por: Vinícius MAIA

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS