Edinho envia projeto à Câmara liberando merenda para professores

Prefeito Edinho Araújo (MDB) protocolou na Câmara, na tarde desta segunda-feira (12), o projeto de lei que institui o Programa de Educação Alimentar nas Escolas Municipais, no âmbito do sistema municipal de Educação.

De um monte de intenções que representam poucas novidades à política de merenda existente nas 135 escolas públicas do município, a novidade fica por conta do recuo do Executivo em relação aos cerca de 3 mil professores e funcionários que, pela nova proposta, também vão poder comer as refeições servidas aos estudantes. Ou seja, Edinho dá sinais de que sentiu o golpe e recua diante da desgastante pendenga política e jurídica que se armou em torno de lei do vereador Jean Dornelas (PRB) neste sentido.

Primeiro a Secretaria da Educação, ainda na gestão de Beth Somera, cortou a merenda aos profissionais da Educação como medida para sanear despesas. Dornelas fez barulho, entrou com projeto de lei, que foi aprovado pelos vereadores.

A iniciativa, no entanto, foi vetada por Eleuses Paiva quando este assumiu a cadeira de Edinho, com base em orientações da ala técnica do governo. A Câmara derrubou o veto e a lei permitindo que os professores e alunos se alimentassem entrou em vigor. Mas o município entrou com uma Adin (Ação de Inconstitucionalidade) e conseguiu, no início de fevereiro, liminar que novamente limitava a merenda aos estudantes.

Da Reportagem

SEM COMENTÁRIOS