Dória anuncia delegado especialista em PCC para chefe da Polícia Civil de SP

O governador eleito de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou ontem o delegado Ruy Ferraz Fontes como o futuro delegado-geral da Polícia Civil, o chefe máximo da instituição.

Considerado como uns dos principais especialistas em PCC do país, a escolha de Fontes indica uma política agressiva ao combate ao crime organizado na gestão Doria.

É dado como certo que o novo governador deve transferir toda a cúpula do PCC, como pretende a Promotoria atualmente, mas que a gestão Márcio Franca (PSB) reluta em fazer.

O Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo e a Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo divulgaram uma nota desejando boa sorte do novo delegado.

Também foram anunciados os nomes dos dois secretários-executivos da Segurança Pública,  o coronel Álvaro Camilo, que fará a interlocução com a Polícia Militar, enquanto o delegado Yusseff Chaim terá atribuição junto à Polícia Civil.

“Desejamos ao Dr. Ruy Ferraz Fontes, nomeado novo delegado geral pelo governador eleito João Doria, uma excelente gestão à frente de uma instituição que precisa ser valorizada sob todos os aspectos pelo Governo do Estado, a fim de que possa voltar à excelência no que se refere à recomposição de seu efetivo, estrutura das delegacias, viaturas e investimentos em equipamentos e tecnologia.

Hoje, se a Polícia Civil do Estado de São Paulo é, sem dúvida, uma das melhores da Federação, tal cenário só é possível graças ao esforço e à dedicação de todos os seus integrantes, que trabalham por dois, três, às vezes, quatro policiais, ganhando o pior salário do país.

Aproveitamos, ainda, para desejar sucesso ao ex-delegado geral nomeado secretário executivo da Polícia Civil, Youssef Abou Chahin. Que o Dr. Youssef seja, de fato, um facilitador para que, reiteramos, a instituição Polícia Civil seja finalmente valorizada por um governador.

Por fim, as entidades de classe de delegados de polícia não podem deixar de mencionar e lamentar o fato do governador eleito João Doria ter escolhido um delegado geral que não constava da Lista Tríplice a ele entregue dias atrás. Espera-se que este ato não seja um prenúncio de uma triste e indesejada “velha forma de gestão”, em relação ao trato e ao respeito para com tão importante instituição, a Polícia Civil do Estado de São Paulo.”

Por Jaqueline BARROS

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS