Dobra o número de acidentes com vítimas de queimaduras

queimaduras - Número de vítimas aumentou em Rio Preto e região

Acidentes causados por explosões ou incêndio em ambiente doméstico e de trabalho deixam em alerta a população quanto ao risco do manuseio de objetos que podem causar estas ocorrências.

Da última semana de dezembro de 2017 até ontem, dez pessoas, da região de Rio Preto, foram levadas em estado grave, para unidades médicas com queimaduras. Em um dos casos sete pessoas foram atingidas pelas chamas de uma chapa, na cidade de Tanabi. O caso mais recente aconteceu com uma jovem, de 24 anos, enquanto trabalhava na cozinha de uma loja de conveniência, em Bady Bassitt.

Dhoje Interior

A vítima fazia a limpeza da chapa quando aconteceu o acidente. “Como de costume ela sempre faz a limpeza da chapa e ao jogar o produto pegou fogo. Ela foi atingida no rosto e nos braços”, conta o irmão Gilson de Magalhães Nunes.

Os funcionários da conveniência chamaram o socorro e a jovem recebeu os primeiros atendimentos em uma Unidade Básica de Saúde foi encaminhada ao Hospital de Base. De acordo com a assessoria de imprensa do hospital, Naviela de Magalhães Nunes sofreu queimaduras de 1º grau no rosto e 2º grau nos braços, a vítima passou por cirurgia e até a tarde de ontem seria encaminhada para o quarto.

No Hospital de Base no ano de 2016 foram atendidas 233 pessoas vítimas de queimaduras, em 2017 houve um aumento nos atendimentos e chegou a 253 atendimentos. Em casos mais graves as vítimas são encaminhadas para ao Hospital Padre Albino, em Catanduva, que dispõe de uma Unidade de Tratamento de Queimados (UTQ).

Houve um aumento no número de vítimas feridas gravemente por queimaduras, no ano de 2016 de janeiro a outubro, 285 vítimas foram atendidas na Unidade de Tratamento de Queimados (UTQ) do Hospital Padre Albino, no mesmo período do ano passado registrados 326 atendimentos. Os casos são classificados em chama direta, escaldadura e inflamável. Acidentes por chama direta até outubro de 2016 foram 72 casos, no mesmo período do ano passado 146 pessoas ficaram feridas.

“Aqui no hospital temos toda a estrutura para tratar qualquer tipo de queimadura das mais leves até os casos mais graves. Os tipos de acidentes têm incidências em determinadas faixas etárias, por exemplo, crianças geralmente enquadram nos acidentes de líquidos escaldantes, como água quente ou óleo no ambiente da cozinha.

Na fase da adolescência a maior incidência são os casos de chama direta, como churrasqueiras e também em locais de trabalho como choque elétrico e caldeira de usina”, explica o cirurgião plástico e chefe da Unidade de Tratamento de Queimados, do Hospital Padre Albino, José Antonio Sanches.

O médico pondera também que nos períodos de fim de ano e festa junina aumentam os casos. “Nestes períodos do ano há um maior manuseio com fogos de artifícios e churrasqueiras o que acabam resultando em acidentes em alguns casos”, finaliza Sanches.

O Hospital Padre Albino é referencia no tratamento oferecido aos queimados e realiza orientações à população promovendo a semana de queimados que tem o objetivo alertar sobre o tipo de acidente.

 

Por Mariane Dias