Disputa entre facções faz aumentar número de homicídios em Rio Preto

O número de homicídios em Rio Preto vem aumentando desde o início deste ano. Segundo dados divulgados pela Secretaria de Estado da Segurança Pública, houve aumento de 75% nas ocorrências por este tipo de crime. No primeiro trimestre deste ano, 14 casos de homicídio foram registrados, contra oito no mesmo período de 2016. Como o homicídio é um crime que não é possível prever, o coordenador operacional da Polícia Militar, major Paulo Sergio Martins, afirma que a polícia trabalha fazendo operações, com o objetivo de apreender armas de fogo para diminuir o número de casos.
Segundo ele, em relação a esse aumento, grupos rivais – em alguns bairros da Zona Norte – estavam em disputa e isso teria ocasionado essa alta registrada na cidade. O major comenta que um adolescente de 17 anos, foi o responsável pela maioria dos casos. Ele foi apreendido há duas semanas, e permanece na Fundação Casa. “A maioria dos homicídios de Rio Preto e região é por motivos passionais, que teve um desentendimento com algum familiar ou ex-namorado e acaba se vingando desta forma. E também tem esses outros homicídios responsáveis por esse aumento, que foram resultado da disputa de grupos rivais sob liderança de um adolescente.”
Como neste tipo de caso, através de denúncia anônima, o major Paulo Sergio diz que a população pode ajudar a polícia com ligações ao 190. O anonimato é garantido e, segundo ele, é importante que as pessoas consigam passar o máximo de informação que puder. Todas serão apuradas e devidamente investigadas. “É importante que a população saiba que o que interessa para nós é a informação. Então, pode ligar para o 190 e passar a informação. Denúncia também de pontos de venda de drogas, porque o tráfico é o responsável por todos os problemas. Com as informações, nós prenderemos ou apreenderemos [no caso de menores] e tiraremos essas armas de circulação, que evitará um crime futuro.”
O último caso de homicídio registrado no município foi o do jovem encontrado morto em uma avenida que fica atrás da Universidade Paulista (Unip), na Zona Sul de Rio Preto, no início desta semana. O corpo de Diego Silva Ferraz, de 25 anos, foi encontrado na noite da última terça-feira, na Avenida Abelardo Menezes, próximo à Universidade. A Polícia Militar chegou à cena do crime através de denúncia anônima. No local, os policiais encontraram o jovem já morto e com um tiro na cabeça. Ainda havia uma mancha de sangue na rua onde Diego foi localizado. Com a vítima, a polícia encontrou um cartão de mototáxi, manchado de sangue. O caso foi registrado como homicídio e será investigado pelo 5º Distrito Policial.

Por Luna Kfouri

SEM COMENTÁRIOS