Dia Mundial do Fusca: Rio Preto possui 7.869 registros do modelo

Você sabe que dia é hoje? Não, não é só dia 22 de junho, sexta-feira, ou o dia do jogo da seleção brasileira, para quem não sabe, hoje é o Dia Mundial do Fusca!
O Volkswagem que conquistou o mundo mesmo sendo considerado um carro do povo, tem uma história tão grandiosa quanto ele próprio. Criado na Alemanha, seu primeiro projeto não teve muito sucesso, pois era um projeto caseiro, mas em 1935, finalmente o modelo revolucionário foi apresentado aos alemães.

Trazendo grandes mudanças como, resfriador a ar, e uma caixa de cambio com quatro marchas, o VW surpreende com seu preço, que era acessível a todas as classes sociais. Após seu lançamento, o carro passou por mudanças mecânicas e estéticas frequentes, até 1939, quando foi usado como transporte Militar na 2°Guerra Mundial.

Após o fim da guerra, o carro voltou a ser usado, para lazer das famílias alemãs, mas com mais umas mudanças, o motor que era de 995 cc e 19 cv, passou a ter 1.131 cc e 26 cv de potencia, o que foi um sucesso com 70 mil modelos vendidos.
No Brasil, o VW chegou em 1959. Após 37 anos de circulação, o Fusca foi tirado das ruas do país, o carro era tão marcante, que em 1993, voltou a ser fabricado no país, a pedido do então presidente Itamar Franco.
Até hoje o carro deixa rastros de fãs, só na região de Rio Preto, constam 7.869 unidades do modelos registrados. Luis Fernado do nascimento, há 5 anos coleciona o modelo, e se orgulha, pois era uma vontade que ele tinha desde criança.
“Na verdade sempre tive vontade de ter um fusca, mais equipado como o meu , com motor turbo e ap 2.0, refrigerado a água entre outros detalhes, posso modernizar ele o quanto for, ele sempre vai ser o meu carro antigo ”, conta Fernando.
O Fusca faz parte da história de muita gente, como é o caso de Neilhovan Migliatti, que tinha o sonho em ter um modelo no ano 68, quando conquistou passou três anos reformando o carro, um dia após a reforma pronta, Neilhovan viu seu sonho acabar, o VW pegou fogo, enquanto ele passeava com o filho de 2 anos, por sorte, Neilhovan conseguiu salvar o filho que dormia no banco detrás. O fim dessa história é ainda mais surpreendente.
“Alguns amigos se reuniram e me deram outro fusca, eles se juntaram, pra ajudar a eu levantar meu sonho novamente, o carro ficou 9 meses restaurando, e hoje está igualzinho o que queimou, não mudei nada”, contou Migliatti.
Entre altos e baixos, como nas histórias contadas, o modelo voltou a ser fabricado recentemente, como Beeatle, com chassis de VW Golf.

(Colaboração: Thais LOBATO)

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS