‘Dia D’ contra sarampo será em uma única UBS

Foto: Claúdio Lahos

Começou nesta segunda- feira, 10, em Rio Preto e região, a primeira etapa da campanha nacional de vacinação contra o sarampo de 2020, que será realizada até 13 de março, para alcançar crianças e jovens ainda não imunizados contra a doença.

A campanha nesse período definido pelo Ministério da Saúde tem como o público alvo as crianças de cinco anos até os adolescentes de 19 anos. As doses estarão disponíveis em todos os postos de vacinação.

Dhoje Interior

A vacina faz parte do calendário e estará disponível todos os dias, em todas as salas de vacinação.

No sábado, dia 15, haverá o ‘Dia D’, que será somente na unidade de saúde do bairro Parque Industrial, que fica localizada na rua Expedicionários, nº 1541.

Segundo a gerente do Setor de Imunização, Michela Dias Barcelos, será na unidade do Parque Industrial, que é uma região mais centralizada e que tem uma população grande.

A vacina tríplice viral protege contra sarampo, rubéola e caxumba. É de extrema importância o comparecimento para atualização da carteira de vacinação, pois há pessoas que nunca tomaram, enquanto criança por resistência ou por contraindicação, e também pessoas que vem de outras regiões, ou que perderam carteirinhas e que não há como comprovar.

“No entanto, convocamos todas as pessoas dessa faixa etária para que olhem sua carteira de vacina e se não conseguirem identificar as duas doses de tríplice viral que é contra o sarampo, rubéola e caxumba, que procurem uma unidade de saúde. Os profissionais vão ajudar nessa avaliação e verificar se tem necessidade de alguma dose ou não’’, explica a gerente.

Michela destaca que a vacina é contraindicada para bebês com menos de 6 meses. “A recomendação é que as mulheres se vacinem antes de engravidar, porque aí elas passam anticorpos para o bebê, e as que já estão grávidas e não estão vacinadas, precisam evitar locais aglomerados. É muito importante que as pessoas que convivem com essa criança tenham se vacinado, para não serem transmissores da doença’’, afirma.

“As unidades de saúde estão fazendo seu trabalho, mas é importante que as pessoas também se mobilizem no sentido de manter a sua situação vacinal, dos filhos, e da família, atualizada para que possamos reduzir a incidência da doença’’, frisa.

CENÁRIO EPIDEMIOLÓGICO

Em 2019, foram confirmados 74 casos. “Percebemos uma redução da notificação, mas ainda não é um sinal para as pessoas deixarem de fazer a prevenção. Ainda se mantém a orientação de vacinação dos bebês, porque não temos uma situação de eliminação livre do sarampo, então sempre existe o risco da doença”, conclui Michela.

 

Por Verônica MAESTRELLA