DESDE DE QUE ISOLAMENTO ALCANCE 55%: Plano regional prevê reabrir shoppings e flexibilizar serviços de modo controlado

Foto: Ivan Feitosa/Pref. Rio Preto.

O prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo (MDB), representando os demais prefeitos da região, apresentou ao governo do Estado o Plano Regional para a flexibilização das atividades econômicas.

O Comitê criou cinco níveis de acompanhamento de casos em Rio Preto, que vão do mais radical (fecha tudo – nível 5) à reabertura geral (nível 1).

Dhoje Interior

Mais uma vez foi colocado ao secretário de Desenvolvimento Regional do Estado, Marco Vinholi, pelo prefeito Edinho que todos os prefeitos da região defendem a autonomia e regionalização da flexibilização da economia de acordo com a situação de cada município.

Segundo a Prefeitura de Rio Preto, “Mantida a estabilidade e/ou registrar queda no número de casos, a proposta do comitê prevê a inclusão da cidade no nível 2, que prevê a reabertura de alguns segmentos da economia”.

“Estamos mais próximos de chegarmos no nível 2, que permite uma flexibilização maior, mas podemos fazer um esforço final para aumentar nossos níveis de isolamento e chegarmos ao dia 1° de junho, quando termina o decreto do governador, em condições de retomar atividades econômicas indispensáveis para a vida do cidadão”, salientou Edinho.

Com o nível 2 o plano traz a possibilidade da abertura de diversas atividades que hoje estão fechadas com restrições.

A proposta apresentada coloca a volta do funcionamento de shoppings, galerias, restaurantes e similares, seguros, planos de saúde, imobiliárias, escritórios de contabilidade, advocacia e atividades veterinárias com atendimento ao público com a utilização de 30% da capacidade de pessoas.

Outros estabelecimentos que poderão ser liberados com um percentual um pouco menor, 10% da capacidade de pessoas, são: lojas de variedades, lojas de departamentos ou magazine, serviços de arquitetura, engenharia, locação de veículos, comércio atacadista, lavanderias, comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios, calçados, joias e relógios, produtos de limpeza, tabacaria, artigos pessoal, papelaria, disco e cds, artigos esportivos e de viagem, artigos usados, bijuterias, artesanatos, plantas e flores, objetivos de artes, doces, tapeçaria, livrarias, equipamentos de informática, telefonia, eletrodomésticos, móveis, tecidos, instrumentos musicais, peças e acessórios para aparelhos eletrônicos, cama mesa e banho.

Outro ponto traz a possibilidade do atendimento individual por agendamento. Neste item, enquadram-se salão de beleza (cabeleireiras, manicures e pedicures), barbeiros, atividades de condicionamento físico e outras práticas esportivas, comércio de veículos automotores, empreendimentos imobiliários, serviços de escritório, salas de acesso à internet, formação de condutores, ensino de arte e cultura e idiomas, representantes comerciais, cursos de informática e preparatórios, aluguel: de objetos pessoais e domésticos, e de máquinas e equipamentos.

Cultura e entretenimento – apresentações teatrais, shows e outras atividades culturais, além de cinema, poderão acontecer no estilo drive, onde os espectadores poderão assistir a apresentação ou filme dentro de seus veículos.

Atualmente, a cidade encontra-se no nível 3, que autoriza o funcionamento de serviços essenciais, seguindo regras previstas no decreto do governo do Estado de São Paulo.

Uma tabela de acompanhamento dos casos de Covid em Rio Preto vai levar em consideração o número de síndromes gripais leves e graves, casos de Covid, ocupação de leitos em UTIs (Unidade de Terapia Intensiva), garantia de EPIs (Equipamento de Proteção Individual) e quantidade de profissionais da saúde na ativa.

Segundo o secretário de Saúde de Rio Preto, Aldenis Borim, ficou facultado aos prefeitos da região aderir ao plano de acordo com a realidade local de cada município, condicionada a decisão do governo do Estado de regionalizar as decisões contidas em um futuro novo decreto.

Por Sergio SAMPAIO