Deputado Itamar Borges descarta paralisação de obra na BR-153

Obras causam afunilamento em alguns trechos da rodovia, carregando ainda mais o trânsito. Foto: Ygor Andrade.

A possível paralisação nas obras da BR-153 preocupa não somente o prefeito Edinho Araújo (MDB), mas também outros políticos ativos na região, como o deputado estadual Itamar Borges, também do MDB.

Ele foi procurado pelo DHoje para comentar a respeito das tratativas que ele, ao lado do Chefe do Executivo de Rio Preto, têm feito para garantir que não faltem verbas para a continuidade das obras.

Dhoje Interior

Itamar disse que “não acredita e não há risco que aconteça a paralisação das obras na BR-153”. Segundo ele, o prefeito Edinho tomou todas as providências e envolveu os deputados federais do partido e da região.

“O prefeito Edinho esteve em uma audiência em Brasília, com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, com o vice-governador Rodrigo Garcia, e também com o ministro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e veio de lá com a garantia de que não faltariam recursos para continuidade e conclusão da obra. O prefeito tem cuidado disso pessoalmente, com o apoio dos deputados da região, principalmente dos deputados federais”, disse.

Sobre o que a paralisação representa para a região, Itamar foi bastante direto e disse que “a rodovia é uma das mais importantes do país para o transporte de cargas. A obra já está 75% concluída e a previsão é de que fique pronta no final de 2020. Uma grande conquista para a população”.

O CASO

O ritmo nas obras da BR-153 foi reduzido gradativamente por falta de recursos. Apesar disso, Edinho Araújo mantém o discurso de que os trabalhos no sentido de continuidade dos trabalhos estão mantidos.

Há pouco mais de um mês, Edinho conversou com o Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, que prometeu a liberação de mais recursos para que as obras não parem, como já noticiado pelo DHoje.

No momento, as obras dispõem de R$ 5 milhões e para sua conclusão, o valor total restante é de pouco mais de R$ 76 milhões. O total para a duplicação das obras do início ao fim é de R$ 240 milhões.

Para 2020, contudo, existe a promessa de liberação de R$ 40 milhões para a continuidade das obras, mas atrasos ou paralisações poderiam acarretar em problemas estruturais e deterioração do que já foi feito.

Por Ygor ANDRADE