Dengue pode ser fatal para cardiopatas

Foto Divulgação

Causada por um vírus transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, a dengue pode ter
consequências graves e que podem levar a extravasamento de líquidos pelo corpo, vômitos, perdas de eletrólitos (sais minerais – sódio, potássio, magnésio, etc), oscilações da pressão e sangramentos, e em casos extremos pode levar a vítima à morte. Isso não é
segredo para ninguém, mas o que a maioria da população não tem conhecimento é que
em pacientes cardiopatas, a doença pode exigir um pouco mais de cuidados.

Isso porque os pacientes cardiopatas são frágeis e apresentam risco maior de complicações, principalmente os que frequentemente fazem uso de medicações para hipertensão arterial, anticoagulantes ou antiagregantes plaquetários.

Frente a alguns medicamentos que são recomendados popularmente para o combate dos
sintomas, os pacientes correm riscos que vão de arritmias cardíacas, infecções bacterianas
à insuficiência renal aguda ou hepática. Os cuidados necessários estão relacionados à necessidade de hidratação. Quem dá mais explicações é o Cardiologista Maurício Machado.

“É importante também destacar o cuidado que os pacientes devem tomar com o uso de
medicamentos que interferem na coagulação e na função das plaquetas, pois aumentam o risco de sangramentos”, explicou Machado.

Remédios restritos a essa classe de pacientes Alguns remédios que podem trazer problemas para o pacientes são: anticoagulantes como varfarina, dabigatran, rivaroxaban, apixaban e antiagregantes plaquetários (ácido acetilsalicílico, clopidogrel, prasugrel, ticagrelor).

Maurício ainda orienta que em algumas situações o mais indicado é internação do paciente,
para que o tratamento possa ser assistido com uma maior cautela. “Algumas situações
não permitem a suspensão de medicamentos e por isso podem requerer que o paciente
seja acompanhado internado.

Por exemplo, um paciente que tenha feito cirurgia cardíaca e use válvula metálica não pode
ficar sem o tratamento anticoagulante com varfarina. Como as formas mais graves da dengue podem aumentar o risco de sangramento, esses pacientes necessitam de observação muito próxima para análise dos resultados de exames da coagulação
(principalmente contagem de plaquetas) e ajustes das doses dos medicamentos”, completa
o cardiologista.

Se surgiu dúvida sobre quais medicamentos usar nessa situação não se preocupe. Confira
o nome de alguns remédios que podem te salvar em casos da doença: os medicamentos
indicados para o controle da febre e da dor são a dipirona e o paracetamol e em situações
excepcionais de dor intensa, a associação de paracetamol com codeína.

A recuperação dos pacientes cardiopatas também exige um acompanhamento mais
detalhado, pois dependendo da gravidade e intensidade dos sintomas e do grau da cardiopatia, os pacientes, mesmo com quadros infecciosos mais leves, podem levar um tempo maior para recuperação.

Apesar de todas as orientações dadas pelo profissional, o indicado é que todos os pacientes
que forem contaminados procurem imediatamente um profissional da saúde para conhecer qual o tratamento adequado para o caso apresentado. Colaborou: Thais Lobato

 

Da REPORTAGEM

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS