Definido: Rio Preto terá seis concorrentes a prefeito

Aliados de Valdomiro Lopes comemoram candidatura de Orlando Bolçone à prefeitura. Aliança foi cercada de mistério até o momento final.

Entre os nomes de Carlos Arnaldo (PDT), Daniel Nhani (PCO), Edinho Araújo (PMDB), João Paulo Rillo (PT), Kawel Lotti (PSDC) e Orlando Bolçone (PSB) sairá o do próximo candidato a prefeito. Coligações viraram motivo de discórdia e de novelas entre os partidos.

Rio Preto terá seis candidatos à prefeito. A noite de ontem, que marcou a consolidação de todo o cenário eleitoral. No entanto, durante todo o dia os bastidores da política pegaram fogo. Entre reuniões, saídas, uniões esperadas e inesperadas, inclusive com acusações de traição, salvaram-se todos. Serão candidatos Carlos Arnaldo (PDT), Daniel Nhani (PCO), Edinho Araújo (PMDB), João Paulo Rillo (PT), Kawel Lotti (PSDC) e Orlando Bolçone (PSB).
A principal novela a ser resolvida foi a do PSDB. O partido anunciou o apoio a Orlando Bolçone durante a convenção do PSB. Durante a convenção do partido na parte da tarde, nada foi dito, o que aumentou o clima de tensão. “Vamos continuar todos juntos. Mesmo aqueles que não estão diretamente unidos, nós fizemos esforço enorme para manter unido o grupo de partidos”, afirmou Bolçone. Outro nó a ser resolvido era a situação do PP, que foi coligado com o PSB (leia mais ao lado). Bolçone será candidato pela segunda vez.

O primeiro candidato do dia a anunciar a candidatura foi Carlos Arnaldo (PDT).. Claramente mirando Orlando Bolçone, o pedetista prometeu “vir com todo o gás para combater o candidato do governador” e falou em extinguir ao menos cinco secretarias, como a do Trabalho e a de Serviços Gerais.

Daniel Nhani, do PCO, foi a surpresa da noite. O partido terá apenas um candidato a vereador. “Vamos fazer uma campanha mostrando que o país vive um cenário de golpe. Nossa intenção é divulgar o programa de partido, não temos discurso de nova política”. explicou o candidato. O partido vai sem coligação.

Já no Centro Cultural Vasco João Paulo Rillo (PT) chancelou ontem sua candidatura ao lado de Plínio Gentil. O partido terá ao seu lado o PC do B, que levará cinco candidatos. “A campanha vai ter o povo como protagonista. É uma campanha humanizada, na qual vamos trazer as pessoas para a administração. Queremos fazer um governo para o povo”, afirmou o petista, que vai para sua terceira candidatura consecutiva.

A partir de agora as campanhas entram em compasso de espera até o dia 16 de agosto, quando a propaganda eleitoral passa a valer. As propagandas gratuitas obrigatórias em televisão e rádio começam no dia 26 de agosto deste ano.

De fora
PSTU e PSOL não irão disputar o pleito com candidato próprio. A decisão do primeiro já era conhecida desde a noite de quinta-feira (4), mas o PSOL só consolidou sua posição hoje, depois de longo debate. Os dois partidos terão apenas chapa para vereador. O PSTU, inclusive, fará campanha a favor do voto nulo para prefeito, enquanto o PSOL disse não ter definido questão quanto a isso.

 

Por Lucas ISRAEL

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA