DE OLHO NA VALIDADE: Projeto de Marinho promete ajudar consumidor na hora da compra

Proposta de vereador quer obrigar a colocação de cartazes perto dos produtos em promoção. Foto: Cláudio Lahos

eador José Carlos Marinho (PSB), que obriga a colocação de cartazes com a data de validade próximo a produtos que estiverem em promoção foi aprovado em 1ª discussão. Com a notícia, os consumidores estão na torcida para a aprovação do projeto.
Segundo o diretor do Procon de Rio Preto, Arnaldo Vieira, o projeto é satisfatório para o consumidor.
“Todo e qualquer projeto que beneficie consumidor é extremamente louvável. A proposta do vereador é bem-vinda. Até por conta de várias campanhas que são feitas juntas ao Procon em relação a data de validade do produto. Alguns anos atrás foi feita uma parceria entre Fundação Procon e a Apas (Associação Paulista de Supermercados) que se chamava ‘De olho na validade’, o consumidor que encontrasse produto vencido tinha direito de receber desconto e ainda receber um outro produto no mesmo valor”, frisou.
Vieira ressaltou que “vai ajudar o consumidor rio-pretense a observar a validade do produto e saber de imediato que é um produto diferenciado, porque está próximo ao cartaz com a data de validade. Se o cliente ter essa informação clara para nós será excelente”.
Segundo descrito no projeto, os cartazes deverão ser fixados junto ao produto que estiver na promoção, com tamanho de 20cmx 30 cm e o descumprimento caberá ao poder executivo aplicar advertência e multa na reincidência.
Segundo o diretor do Procon, não há um alto índice de reclamações deste tipo, mas ocorrem registros pontuais.
“Nós temos reclamações deste tipo no Procon, não são muitas, mas há registros. Inclusive, nesta semana tivemos reclamação em relação a data de validade vencida. O consumidor comprou uma maionese e ao chegar na residência notou que a validade estava bem vencida. Encaminhamos para a fiscalização da Fundação Procon e abrimos a reclamação em nome do consumidor para que o mercado consiga se explicar”, salientou.
A costureira Miriam Souza achou positivo o projeto. “Eu olho muito a validade independente da promoção, mas o projeto é muito bom”, opinou.
“Desde que o projeto vai ao encontro do anseio da população é bem válido. Se vigorar vai ser nota dez”, concluiu o aposentado João Carlos de Oliveira Menezes.

Da REPORTAGEM

Dhoje Interior