Cursos profissionalizantes oferecidos em Rio Preto abrem caminho ao empreendedorismo

Diante dos desafios de se conseguir emprego com carteira assinada, munícipes buscam qualificação para abrir o próprio negócio

Roseli Custódio é um dos 25 encanadores formados no início de julho pela Escola Técnica Philadelpho Gouvea Neto – ligada ao Centro Paula Souza – em parceria com a Prefeitura Municipal de Rio por meio da Secretaria do Trabalho e do Emprego.

Atuando há 14 anos na área da construção civil, ela viu na qualificação a chance de especializar seus serviços e empreender, enquanto a contração por carteira assinada não acontece.

“O curso foi maravilhoso. Agora, com a propaganda ‘boca em boca’, vou garantindo mais serviço e a complementação da renda em casa. Sem contar que a gente sempre espera que surja aquele emprego com carteira assinada”, conta Custódio.

A encanadora é exemplo da melhora (ainda modesta, tendo em vista que 13 milhões de brasileiros ainda encontram-se desempregados) nos números relativos ao trabalho divulgados recentemente.

De acordo com o CAGED, cadastro geral que controla admissões e demissões no regime CLT no País, Rio Preto registrou no primeiro semestre deste ano uma queda de 9,6% nas demissões e um aumento de 5,3% nas contrações em comparação ao mesmo período do ano passado.

Já a PNAD, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, divulgada pelo IBGE na última sexta-feira (28), indicou que meio milhão de pessoas voltaram a trabalhar entre abril e junho, em relação às que estavam desocupadas no primeiro trimestre de 2017. Trata-se da redução mais expressiva desde 2014.

Apesar de inspirar otimismo, essas novas ocupações correspondem mais à busca por atividades informais que a vagas de emprego formalizadas. O empreendedorismo, como feito pela encanadora Rosali Custódio, acaba sendo uma saída para quem precisa de trabalho.

“O número de atendimentos que temos realizado desde 2016 para pessoas interessadas em abrir o próprio negócio ou ser dona do próprio serviço é crescente em Rio Preto. Na falta do emprego, a necessidade, muitas vezes, é o que faz as pessoas empreenderem”, comenta o gerente do Sebrae Rio Preto, Marcos José Amâncio.

Instalada em sede na rua Dr. Presciliano Pinto, 3184, no Jardim Alto Rio Preto, o Sebrae oferece diversos serviços para gestão de micro e pequenas empresas. Já quem precisa desenvolver habilidades técnicas pode procurar a Secretaria de Trabalho e Emprego, que fica na rua Ondina, 216, na Redentora. Atualmente, 30 pessoas participam de curso de Jardinagem na ETEC com apoio da Prefeitura.

Da REDAÇÃO

SEM COMENTÁRIOS