SAÚDE VASCULAR: Cuidados com a saúde vascular pós-Carnaval

Para aqueles que aproveitaram o feriado e o Carnaval, é hora de recuperar-se da folia e cuidar da saúde vascular. Permanecer muito tempo em pé acompanhando o desfile das escolas de samba predispõe a dor nas pernas, inchaço e pode sobrecarregar as veias.

Dançar e desfilar em ambientes fechados, sem a correta hidratação, favorece o desenvolvimento da trombose venosa profunda. Além disso, aqueles que fizeram a opção de viajar ao invés de acompanhar o Carnaval, devem estar vigilantes para as orientações vasculares durante as viagens prolongadas de carro, ônibus ou avião.

Algumas orientações são importantes e necessárias para que você esteja em sintonia com a sua saúde vascular.

Hidratação – Durante o Carnaval, as pessoas eliminam líquidos continuamente e podem desidratar-se. A desidratação é inimiga do nosso sistema circulatório. Além de trombose venosa profunda, a desidratação favorece a hipotensão, o desmaio e a confusão mental. Água mineral, água de coco e sucos naturais de fruta são recomendados para prevenir a desidratação.

Exercícios – Alongamentos são fundamentais para o fortalecimento muscular e para a prevenção de dores nas costas, nas pernas e nos pés. Sessões de fisioterapia são recomendadas para recuperação física pós-Carnaval.

Movimentos bruscos – Traumas isolados e indesejáveis podem lesar a parede das veias e predispor a formação de coágulos de sangue que vão obstruir o fluxo de sangue pelas nossas veias, caracterizando o quadro clínico da trombose venosa profunda.

Dor na perna – Geralmente é o primeiro e único sintoma relacionado a trombose venosa profunda. Na presença de dor nas pernas, procure o médico especialista. O diagnóstico precoce da trombose venosa profunda é crucial na prevenção da embolia pulmonar.

Viagens longas – Viagens prolongadas de carro, ônibus e avião não estimulam o sistema circulatório e favorecem a trombose venosa profunda. Se possível, faça mais paradas durante a viagem e exercite suas pernas e seus pés com alongamentos repetitivos. No caso de histórico pessoal e familiar de doença venosa, procure o auxílio do cirurgião vascular. Pode ser necessário, profilaxia medicamentosa durante as viagens.

Prof. Dr. Sthefano Atique Gabriel – Doutor em Pesquisa em Cirurgia pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, especialista nas áreas de Cirurgia Vascular, Angiorradiologia e Cirurgia Endovascular e coordenador do curso de Medicina da União das Faculdades dos Grandes Lagos (Unilago).