Cuidado com crianças em casa durante as férias deve ser redobrado

O período de férias tão esperado pelas crianças coloca em alerta os pais. No caso de algumas famílias, a fase de descanso dos pequenos gera preocupações para os responsáveis que trabalham ou que não programaram viagens, o principal local das brincadeiras torna-se a casa.

DUPLA ESPERTA – Lucca, de seis meses, e Levi, de quatro anos, são supervisionados pelos pais.. Foto Guilherme Ramos

A orientação dos órgãos de proteção à criança é de que os pais fiquem sempre atentos com as brincadeiras, para que não ocorram acidentes domésticos. Lárine Cicarelli Beloti Marinho é mãe de dois meninos, o Levi de 4 anos e o Lucca de 6 meses, no período de recesso escolar do filho maior a atenção é constante.

“Agora nas férias o cuidado é dobrado, o Levi não para sobre nos objetos, gosta de subir em tudo e por isso eu fico mais de olho pra ele não cair, me preocupo também com as tomadas de energias para ele não colocar brinquedo, se estou na cozinha tenho cuidado com as panelas não deixo os cabos para fora, para não acontecer dele puxar, faca deixo em gavetas mais altas. Ficamos de olho, chamo atenção e falo dos perigos. Todo cuidado é pouco e, principalmente, nas férias”, conta.

De acordo com a Cartilha de Acidentes Domésticos Infantis, da Proteste, a principal causa de morte em criança menor de 1 ano é sufocação, em crianças de 1 a 14 anos afogamento, em segundo lugar nas estatísticas a principal causa de fatalidades são os atropelamentos com crianças de 1 a 14 anos. Nos casos de acidentes domésticos onde é preciso, somente, da hospitalização, a principal causa são as quedas, em segundo lugar crianças menores de 1 ano a 4 anos sofrem queimaduras com líquidos quentes e outras fontes de calor, nos casos de crianças de 5 a 14 anos a principal ocorrência é o choque elétrico.
Atenção redobrada nestes locais:
Para evitar a alta incidência de quedas, os pais devem estar atentos com as janelas, escadas, corredores. É preciso observar se as janelas estão devidamente travadas, além disso, colocar telas de proteção, nas escadas colocar grades de proteção que vão da base ao topo, para maior segurança das crianças, é recomendado piso antiderrapante, locais sem tapetes. Além disso, é preciso ficar atendo ao local que a criança escolheu para brincar, escadas e sacadas não devem ser acessadas pelos pequenos.
Em ambientes externos, como parques, é preciso verificar o brinquedo onde a criança está se há segurança e que não tenha materiais cortantes, além disso, locais com jardins é preciso que as crianças mantenham distância de plantas tóxicas, para evitar o envenenamento.

Por Mariane Dias – Redação Jornal Dhoje Interior

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS