Creche de Icém é paralisada por falta de pagamento de funcionários

A paralisação está sendo organizada pelos 24 monitores infantis da creche, que decidiram interromper as atividades devido à falta de pagamento. Foto Divulgação

A Associação de Assistência Social de Icem (AASI), creche da cidade, vai paralisar as atividades nesta quinta-feira (11). Os responsáveis pela paralisação são os 24 monitores infantis, funcionários da instituição, que decidiram interromper as atividades devido à falta de pagamento. De acordo com Aparecida Regina Viera, coordenadora administrativa da creche, os funcionários estão sem receber o décimo terceiro do ano passado, bem como os salários referentes aos meses de agosto e setembro.

O pagamento dos monitores da creche é responsabilidade da Prefeitura de Icém. Segundo a coordenadora, para o pagamento dos funcionários, a administração da cidade deve repassar para a instituição o valor de 44 mil por mês. Os atrasos não é uma novidade. Ele vem ocorrendo desde o começo do ano. Para ter uma noção, o pagamento do mês de julho foi repassado só em agosto.

“A prefeitura alega que os atrasos têm relação direta com a crise econômica. A gente até entende, mas nós estamos sendo os únicos prejudicados, pois os demais funcionários da prefeitura estão recebendo normalmente. Hoje mesmo, a administração recebeu um valor de 500 mil. Foi dito que seria acertado o salário, mas até agora nada”, explica a coordenadora.

Segunda Viera, a paralisação da creche está programada para esta quinta-feira (11). Na terça-feira (16), as monitoras voltam a trabalhar, pois os responsáveis pela administração da prefeitura disseram que vão fazer o pagamento. Caso, a prefeitura não faça o repasse, na quarta-feira (17), os funcionários dão continuidade à paralisação. “Se tiver o pagamento de pelo menos uma parte do pagamento, nós voltamos, pois temos consideração tanto pelas crianças, como pelas mães, que precisam trabalhar”, comenta a coordenadora.

Segundo a coordenadora, os pais foram avisados sofre a paralisação, mas os funcionários estarão à disposição para explicar a população o motivo do não funcionamento. Vieira comenta que os pais reconheceram a necessidade da paralisação. “As mães até se colocaram a disposição para fazer alguma manifestação na prefeitura caso a situação não seja resolvida”, comenta.

A creche é uma associação filantrópica sem fins lucrativos, uma ONG. Ela funciona na cidade desde 1976 e tem um convênio com a prefeitura pelo serviço prestado à cidade de Icém. A creche é a segunda da cidade e é a que atende mais crianças na cidade, tem 130 crianças matriculadas e diariamente atende cerca de 110. “A gente tem um papel importante na cidade, então gostaríamos que a prefeitura tivesse um comprometimento conosco, pois os funcionários têm os seus compromissos e contas para pagar”, diz a coordenadora.

A prefeitura foi procurada para prestar esclarecimento. No entanto, o funcionário que atendeu a ligação disse que não tinha nenhum responsável para falar do assunto e orientou a ligar no dia seguinte para falar com o responsável pelo assunto. Conteúdo especial: Leandro BRITO

 

Da REPORTAGEM

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS