CPI do Palestra deve ser arquivada na Câmara Municipal

Foto Arquivo DHoje

Instaurada no final do ano passado, a Comissão Processante de Investigação do Palestra
deve ser arquivada pela Câmara de Rio Preto. Mesmo com as definições dos membros
integrantes da CPI, na sessão da última terça-feira, o presidente da comissão, Jean
Dornelas (PRB), sinaliza com o encerramento do caso antes mesmo do processo investigativo por parte do Legislativo.

De acordo com Dornelas, a empresa que realizou a compra da sede central do Palestra Esporte Clube sequer tomou posse do bem, e consequentemente, não teria o alvará. “O assunto que poderia envolver o interesse público seria uma eventual suposta prevaricação na fiscalização.

Dhoje Interior

Eu sei que não há nenhum processo em andamento, pois a empresa não tomou posse do bem. Minha posição é a seguinte, se não há envolvimento com coisa pública, como presidente da comissão pretendo encaminhar o arquivamento da CPI”, afirmou.

Além de Jean Dornelas, a CPI do Palestra conta com o vereador Jorge Menezes (PTB), como relator; Fábio Marcondes (PR) está na função de membro da comissão; e Pedro Roberto (PRB) foi definido como suplente. O vereador Jorge Menezes, que já foi presidente do Palestra, disse que a nova diretoria do clube realiza um trabalho de auditoria. O parlamentar acredita que não terá necessidade da investigação por parte da Câmara.

A CPI do Palestra foi instaurada para investigar liberação de alvarás para execução de obras no final do ano passado. O caso Para pagar as dívidas que tem, a diretoria do Palestra Esporte Clube colocou toda a estrutura da sede, que fica localizada no centro de Rio Preto, à venda. Uma incorporadora imobiliária de São Paulo, a Succespar, realizou
a compra da sede no valor de R$ 60 milhões, que tem o interesse de construir um
hipermercado.

 

Por Vinícius MAIA