COVID-19: Presídios de Rio Preto e região adotam medidas para evitar contaminação

As medidas para evitar a contaminação pelo coronavírus também estão sendo impostas dentro das unidades prisionais do Estado de São Paulo. Atividades externas dos detentos foram cortadas e filas de 1,5 metro de distância estão sendo adotadas nos presídios.
O Centro de Ressocialização Feminino (CRF), o Centro de Progressão Penitenciário (CPP) e também o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Rio Preto precisaram mudar a rotina.
A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) informou que está seguindo as determinações impostas pelo Centro de Contingência do coronavírus para evitar a contaminação dos detentos. Todas as medidas implantadas pelo Governo do Estado de São Paulo, como lavar as mãos com frequência, já fazem parte da rotina dos presos.
Uma das principais diferenças foi no refeitório, as filas são feitas com distância de 1,5 metro. Em unidades com inclusão automática de estrangeiros o procedimento é entrar em contato com a Polícia Federal, para verificar se as providências preventivas foram tomadas. Esses procedimentos vão ser observados por 14 dias caso algum sintoma apareça.
No caso do Centro de Progressão Penitenciário (CPP) e no Centro de Ressocialização Feminino (CRF) todos os trabalhos externos de presos devem ser suspensos até segunda origem.
Além dos detentos, servidores e funcionários também foram informados sobre os sintomas e das melhores formas de prevenção, para isso cartazes foram fixados nas unidades prisionais e toda orientação possível foi passada a eles.
Outra medida tomada foi a suspensão de atividades coletivas, para evitar aglomerações, também aumentou a intensificação na limpeza das áreas dos presídios. Está restrita qualquer entrada de pessoas alheias ao corpo funcional. Os presos que entram no sistema prisional são colocados em quarentena e também há o monitoramento dos grupos de risco.
Ainda segundo a SAP, foi feita a aquisição de termômetros infravermelho, oxímetro digital portátil e a ampliação de produtos de higiene, álcool em gel e sabonete. Para os funcionários foram distribuídos EPI, como máscaras.
A Coordenadoria de Saúde do Sistema Penitenciária também montou um plano de contingência para caso tenha algum suspeito de contaminação pelo coronavírus dentro da unidade prisional.

Por Luciano RAMOS

Dhoje Interior