Conta de água vai ficar 15,38% mais cara para rio-pretenses

Aumento : A nova tarifa, de acordo com Nicanor Batista, estabelece uma recuperação da inflação do período (IPCA) de 14,12% e um pequeno reajuste real de, aproximadamente 2% para fazer frente aos investimentos que se fazem necessários. A defasagem refere-se ao período de julho de 2008 a março de 2017

A afirmação foi do superintendente da autarquia, Nicanor Batista Júnior, ao falar sobre o reajuste de 15,38% nas contas de água, que deverão começar já no mês que vem.

Os consumidores de Rio Preto terão que desembolsar aumento de, no mínimo 15%, na hora de pagar as contas de água, já nos meses de junho e julho deste ano. Os percentuais foram apresentados ontem pelo superintendente do Serviço Municipal Autônomo de Água e Esgoto (Semae), Nicanor Batista Júnior, e passam a valer no mês de maio, porém o consumidor deve sentir esse impacto apenas nas contas de junho e julho.

Nicanor diz que os reajustes, aprovados no mês de março pelo Conselho Consultivo do Semae, levaram em consideração a recuperação da Inflação do Período (IPCA) e demais aumentos, como o da energia. “Reajuste recupera a capacidade de investimento e de pagamento dos funcionários. O Semae estava sem reajuste há praticamente dois anos. Os custos aumentam todos os meses e era preciso equilibrar as contas com a receita. Ao longo dos últimos oito anos houve um represamento, não foi dado no IPCA. Com isso, o custo aumenta acima da inflação, a gente sabe que a energia, por exemplo, aumentou bem acima da inflação e a receita ficou bem abaixo. A defasagem neste período exista e era de, aproximadamente de 14%. O reajuste de hoje [ontem] recupera esse período e garante uma capacidade de investimento do Semae para os próximos anos.”

O reajuste será escalonado. As famílias inscritas na Tarifa Social não terão aumento e devem continuar pagando o valor de R$ 19 por até 10 metros cúbicos de água por mês. Já os consumidores, que utilizam até 20 metros cúbicos de água vão ter reajuste de 15,38%. De 21 a 40 metros cúbicos, o índice será de 16,78%. Acima de 41 metros cúbicos, os valores cobrados serão de 18,18%. Aumento médio de 16,64%.

O superintendente afirma ainda que o aumento seria uma forma de evitar o sucateamento do serviço e posteriormente uma privatização. “A partir do momento que o administrador assumir a responsabilidade dele de enfrentar um reajuste de tarifa, recuperando a capacidade de investimento do Semae, ele não tem nenhuma pretensão de realizar um processo de privatização. Hoje, o Semae possui uma tarifa equilibrada, uma tarifa barata. É perfeitamente possível administrar o Semae e fazer os investimentos necessários para manter a autarquia sendo dirigida pelo município e, principalmente sendo um bem da população de Rio Preto.”

 

Por Jaqueline Barros

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS