Consórcio imobiliário cresce no país

A procura por consórcio imobiliário avançou em 8,4% no total de vendas de novas cotas neste primeiro trimestre. O crescimento vem acontecendo desde o ano passado, quando foram vendidas cerca de 284 mil novas cotas, superando em 26,4% o alcançado em 2016.

De acordo com o gestor de treinamento e desenvolvimento coorporativo da Banneg, Carlos Roberto Puia, a mudança de mentalidade da população foi o principal fator para o crescimento no mercado de consórcios. “Muitas pessoas passaram a enxergar o consórcio como uma forma de investimento. Empresários estão começando a utilizar os consórcios para investir na própria empresa através de capital de juros”, afirmou.

Carlos ainda explicou a vantagem de se optar por um consórcio. “O consórcio é um grupo de pessoas formado e administrado por alguém. As pessoas se reúnem com o propósito de adquirir um único bem. A principal vantagem está no fato de a taxa de juros serem fixas no consórcio, enquanto que no financiamento são juros compostos”, explicou.

Outra vantagem do consórcio é a possibilidade de utilizar o saldo do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Em 2017, mais de três mil trabalhadores optaram em participar do consórcio, na qual foram utilizados R$130,7 milhões. Esse montante cresceu 10% em comparação com 2016, quando foram utilizados R$ 118,8 milhões. “O consórcio proporciona ao consumidor, diante do orçamento apertado, um melhor planejamento financeiro que é indispensável para que ele consiga alcançar seus objetivos materiais. Além de conseguir o imóvel de uma forma mais programada devido as taxas serem mais acessíveis”, comentou Carlos Alexandre Gomes, diretor executivo da Banneg.

Colaborou: Vinicius LIMA

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS