Conselho de Ética da Câmara arquiva denúncia contra vereador

(Foto: Cláudio Lahos)

O Conselho de Ética da Câmara decidiu arquivar o processo disciplinar contra o vereador Anderson Branco (PR) por suposta quebra de decoro parlamentar. A denúncia ocorreu por parte do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais que acusou o vereador de ter invadido a cozinha da escola Cachinhos de Ouro, na Vila Diniz. O episódio aconteceu no dia 28 de março.

De acordo com a denúncia protocolada pelo Sindicato na diretoria legislativa da Câmara Municipal, “o vereador Anderson Branco abusou de suas prerrogativas ao adentrar na escola sem a prévia e expressa autorização da diretora da escola e sem a observância das regras de higiene da cozinha”, diz comunicado.

Dhoje Interior

Branco alega que esteve na unidade de ensino para uma fiscalização, após receber denúncias da falta de feijão na merenda escolar e foi autorizado a entrar na escola pelo porteiro da unidade.

“Não houve nada de invasão, pois fui autorizado a entrar na escola. Como vereador vou cumprir o meu papel de fiscalizar não somente as escolas, como também as unidades de saúde e locais públicos municipais”, comentou o vereador em sua rede social.

Segundo o presidente do Conselho de Ética, José Carlos Marinho (PSB), o parecer jurídico da Câmara concluiu que o vereador Anderson Branco estava fiscalizando a ausência do feijão na merenda e a denúncia não tem base legal.

O Conselho de Ética decidiu acatar o parecer dos advogados do Legislativo e arquivar a denúncia. Além de Marinho, o conselho é composto pelos vereadores Celso Peixão (PSB), Cláudia De Giuli (MDB), Francisco Júnior (DEM) e o próprio Anderson Branco, que como parte envolvida no caso não teve direito a voto.

Por Vinícius MAIA