Conselho de Ética da Câmara arquiva denúncia contra vereador

(Foto: Cláudio Lahos)

O Conselho de Ética da Câmara decidiu arquivar o processo disciplinar contra o vereador Anderson Branco (PR) por suposta quebra de decoro parlamentar. A denúncia ocorreu por parte do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais que acusou o vereador de ter invadido a cozinha da escola Cachinhos de Ouro, na Vila Diniz. O episódio aconteceu no dia 28 de março.

De acordo com a denúncia protocolada pelo Sindicato na diretoria legislativa da Câmara Municipal, “o vereador Anderson Branco abusou de suas prerrogativas ao adentrar na escola sem a prévia e expressa autorização da diretora da escola e sem a observância das regras de higiene da cozinha”, diz comunicado.

Branco alega que esteve na unidade de ensino para uma fiscalização, após receber denúncias da falta de feijão na merenda escolar e foi autorizado a entrar na escola pelo porteiro da unidade.

“Não houve nada de invasão, pois fui autorizado a entrar na escola. Como vereador vou cumprir o meu papel de fiscalizar não somente as escolas, como também as unidades de saúde e locais públicos municipais”, comentou o vereador em sua rede social.

Segundo o presidente do Conselho de Ética, José Carlos Marinho (PSB), o parecer jurídico da Câmara concluiu que o vereador Anderson Branco estava fiscalizando a ausência do feijão na merenda e a denúncia não tem base legal.

O Conselho de Ética decidiu acatar o parecer dos advogados do Legislativo e arquivar a denúncia. Além de Marinho, o conselho é composto pelos vereadores Celso Peixão (PSB), Cláudia De Giuli (MDB), Francisco Júnior (DEM) e o próprio Anderson Branco, que como parte envolvida no caso não teve direito a voto.

Por Vinícius MAIA

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS