Conselheiro ouvido por CPI diz ter recebido benefício para cobertura jornalística

As investigações da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apuram possíveis irregularidades no pagamento do auxílio atleta em Rio Preto continuam. Ontem, mais duas pessoas foram ouvidas pelo autor e presidente da CPI, vereador Marco Rillo (PT). Até o momento, seis pessoas prestaram esclarecimentos sobre as formas e critérios usados para conceder o benefício.

De acordo com o vereador, em depoimento, um dos conselheiros, representante da imprensa, afirmou que recebia o valor do auxílio atleta para realizar cobertura jornalística dos eventos. “Estamos com uma série de informações desencontradas. Uns dizem que existia ata, outros desmentem esta informação. Ainda ontem um dos conselheiros disse que ganhava para cobrir os eventos, fazendo matérias para veículos de comunicação da cidade. São estas coisas que queremos analisar.”

Na semana passada, quatro conselheiros do Conselho Municipal do Auxílio Atleta foram convocados pela Comissão.

O representante da Liga Riopretense de Futebol Amador, Paulo Roberto Palmera, e o representante da Câmara no Conselho, Wilson Juares, além dos servidores da Prefeitura, José Alécio e Doralice Angélica da Silva, conselheiros em nome do município.

Segundo o autor e presidente da CPI, vereador Marco Rillo (PT), a proposta é convocar conselheiros que foram os responsáveis por fiscalizar e acompanhar os critérios para liberação dos benefícios. Só na época das eleições de 2012, 999 atletas foram beneficiadas, muitos suspeitos de serem cabos eleitorais de candidatos envolvidos no auxílio.

 

Por Jaqueline Barros

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS