Confira ‘Nos Bastidores da Política’ desta terça-feira (11)

Demissão

Adão da Costa Morais, que ocupava a presidência da Emcop (Empresa Municipal de Construções Populares), pediu demissão do cargo ontem à tarde e o prefeito Edinho Araújo (MDB) aceitou. Morais, que também é presidente do PTB, chancelou aliança com o Republicanos para ser candidato a vice na chapa a ser liderada pela pré-candidata a prefeita Coronel Helena. Morais diz que o PTB merece destaque nas próximas eleições, por isso aceitou ser coadjuvante na chapa dos republicanos. Para presidente da Emcop, o prefeito nomeou interinamente o engenheiro Francisco Rossi, que atua na empresa desde 2001.

Dhoje Interior

Indignado

O presidente do DC, Adilson Feliciano, ficou indignado com as amarrações entre Republicanos, PTB e Solidariedade para disputar as eleições majoritárias. “Chega de enganar a população”, disse, indignado, se referindo ao presidente do PTB, Adão da Costa Morais, que ocupava a presidência da Emcop. Feliciano diz ainda que os indicados pelo Republicanos também deveriam entregar os cargos. “Só assim a gente começa a acreditar, porque come na mesa do rei, dorme da cama do rei e diz que vai abandonar o rei”, ironizou.

Estratégias

O pré-candidato a prefeito pelo PSDB, vereador Renato Pupo, que mantinha esperança em firmar aliança com o PSL para disputar as eleições majoritárias, desistiu da ideia e vai buscar parcerias com outros partidos. Pupo informou que se reuniu com o presidente estadual do PSDB, Marco Vinholi, no último sábado, para discutir estratégias para sua chapa. “Ele (Marco Vinholi) está animado e na condição de presidente estadual do partido, vai intensificar contatos com legendas”, frisou, sem mencionar quais seriam as siglas.

Mesada

A maioria dos partidos com representantes na Câmara Federal recebe recursos públicos do fundo partidário, um tipo de ‘mesada’ para bancar as despesas do dia a dia das siglas. Em setembro do ano passado, o presidente Jair Bolsonaro regularizou que os recursos também podem ser utilizados para comprar veículos. O presidente do PROS, Eurípedes de Macedo Júnior, é acusado pelo MP por ter comprado até helicóptero e instalado banheira de luxo na sede do partido, em Brasília. A gastança na compra de veículos continua…

Bagatela

A aquisição de um veículo feita recentemente pelo Patriota chamou atenção por causa do preço. A executiva nacional, usando recurso público do fundo partidário, comprou um Mitsubishi Pajero Sport zero pela ‘bagatela’ de R$ 260 mil. O presidente municipal do Patriota, Ulisses Ramalho, esclareceu que o veículo é usado para a locomoção das lideranças do partido pelo Brasil, principalmente devido a pandemia. “A malha aérea está bem debilitada e os automóveis são usados na locomoção do pessoal administrativo”, diz.

Sequela

Depois de ficar internado no Hospital Austa, o ex-vereador Carlão do JC (DEM) recebeu alta e continua fazendo tratamento em casa para se recuperar. Como tinha comorbidade por ter extraído um câncer no rim, Carlão estava no grupo de risco, porém, já está curado da Covid-19. Como a doença deixou sequela no pulmão, segue com o tratamento para eliminar o mal de forma gradativa. O ex-vereador informou ainda que é difícil enfrentar a doença, devido a ação agressiva do vírus e dos medicamentos fortes para combatê-lo.

Pauta

Os vereadores analisam onze projetos na sessão de hoje. São quatro do Executivo e sete de iniciativas dos legisladores. Por exemplo, do Executivo que abre um crédito adicional no orçamento do município de R$ 600 mil, de acordo com convênio estabelecido com o governo do estado de São Paulo, por meio da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho. Será analisado ainda proposta de Jean Charles (MDB), que obriga proteção de segurança aos motoristas e cobradores do transporte coletivo, por causa do coronavírus.

Negacionista

Deputados lamentaram as mais de 100 mil mortes por Covid-19 no país, cujo número foi atingido no último sábado. Os líderes da oposição, André Figueiredo (PDT-CE), e da minoria, José Guimarães (PT-CE), lamentaram as mortes, acusaram o presidente Jair Bolsonaro de ser omisso e de minimizar a gravidade da doença e se solidarizaram com as famílias que perderam parentes. “Bolsonaro desdenha da vida, da dor de 100 mil famílias, e do povo brasileiro. Com sua política negacionista, coloca o Brasil entre os países com mais óbitos pela doença. É o caos social, humano, econômico, sanitário”, alfinetou Figueiredo.

Por Venâncio de MELLO – Redação jornal DHoje Interior