Confira ‘Nos Bastidores da Política’ desta terça-feira (04)

Quociente

A pandemia provocada pelo coronavírus pode influenciar no quociente eleitoral nas próximas eleições. A princípio, dirigentes partidários profetizam quociente de 14 mil votos para qualquer partido eleger um vereador. Nas eleições de 2016, 32% dos eleitores não compareceram para votar. Devido ao índice elevado de contaminação pelos vírus, já falam que as abstenções poderão atingir 50%. Neste caso, o quociente poderá cair para cerca de 10 mil votos. O presidente Ulisses Ramalho (Patriota, foto) disse que se a previsão for confirmada, a sua expectativa é de eleger três e um na sobra.   

Dhoje Interior

Previsão

O presidente do PSC, Paulo Neto, faz uma previsão menos drástica em relação a queda do quociente eleitoral por causa da pandemia do vírus. “Eu acredito que o quociente deverá ficar em torno de 12 mil votos”, prevê. Por causa do índice elevado de contaminação, políticos preveem que boa parte do eleitorado, com medo de contrair o vírus, vai preferir pagar a multa de R$ 3,50. Para o vereador Gérson Furquim (Podemos), a multa irrisória favorece aumentar as abstenções que, aliás, sempre foram elevadas em Rio Preto.  

Leitos

A direção do Hospital de Base informou que 100% dos 117 leitos de UTIs, destinados aos pacientes contaminados por covid-19, estão ocupados. Diante do quadro caótico, o deputado Itamar Borges (MDB) entrou em contato com o vice-governador Rodrigo Garcia (DEM) e mais 20 leitos foram credenciados pelo SUS no fim de semana. Itamar disse ainda que está desenvolvendo ação para prorrogar, de agosto para novembro, o convênio específico para atendimento de pacientes da covid-19 entre o HB e a Secretaria Estadual da Saúde.

Balança

Quando tudo parecia certo, o apoio do PTB à pré-candidatura de Edinho Araújo (MDB) à reeleição, o acordo balança. O presidente Adão da Costa Moraes disse que não tem nada definido porque busca mais fortalecimento para o partido. “Queremos um papel de protagonismo”, se limitou a dizer. Adão da Costa não mencionou qual seria esse protagonismo. Seria entrar na disputa para indicar um nome para compor a chapa como vice de Edinho? A vaga de candidato a vice está aberta, portanto, não é crime reivindicar o espaço.

Chancela

O secretário geral da executiva nacional do DC, Rubens Pavão, chancelou a pré-candidatura a prefeito de Rogério Vinicius.  Como recebeu apoio da direção nacional da sigla, o presidente municipal do DC, Adilson Feliciano, declarou que não vai abrir mão da candidatura própria para prefeito. “Não abro mão da cabeça de chapa”, diz. Partido que queira firmar aliança com o DC, portanto, para disputar as eleições majoritárias, só se for como coadjuvante, indicando o pré-candidato a vice. “Estamos no caminho certo”, acredita.

Nas costas

O presidente do DC, Adilson Feliciano, reclamou que vem enfrentando dificuldade para fechar aliança com o objetivo de fortalecer a pré-candidatura a prefeito de Rogério Vinicius. “Só tenho levado bolada nas costas”, lamentou. Segundo ele, dirigentes com índole duvidosa tentam minar os adversários usando de estratégias rasteiras para desestabilizar os acordos. Diante do quadro sórdido, Feliciano ressaltou que está usando as redes sociais para se defender e ao mesmo tempo bater nas feridas dos adversários pebas.

Debate

A pré-candidata a prefeita Celi Regina da Cruz (PT) informou, por meio da sua assessoria de imprensa, que o nome que irá compor a chapa como vice-prefeito continua sendo discutido na base do partido. Se não firmar aliança com outra sigla, portanto, o PT terá de lançar chapa pura, neste caso, o candidato a vice seria escolhido entre os filiados do partido. Agora, o PT tem um ponto favorável: tempo no horário gratuito no rádio e na televisão. Se for bem explorado, é a principal ferramenta para conquistar votos.

Déficit

O déficit habitacional em Rio Preto é de 14 mil moradias, de acordo com dados da Emcop. O presidente da empresa, Adão da Costa Moraes, explicou que as pessoas que adquiriram casas populares, por exemplo, no Parque Residencial da Nova Esperança, Zona Norte, entregues em 2011, seus filhos ficaram adultos e agora também estão se inscrevendo para conquistar a casa própria. Sobre novos empreendimentos, Adão disse que a Prefeitura formou parceria com a Pacaembu para construir 1,5 mil casas, e também mais mil unidades através da CDHU. É um processo, portanto, que nunca zera.

Por Venâncio de MELLO – Redação jornal DHoje Interior