Confira ‘Nos Bastidores da Política’ desta sexta-feira (23)

Renúncia no PTC

O presidente do PTC, Adideus Cardoso (foto), renunciou ontem a presidência do partido. Na sua justificativa, disse que a coligação com o PSL para apoiar o candidato a prefeito Marco Casale só foi chancelada devido a interferência da Executiva Estadual do PTC. Como não recebeu apoio financeiro para produzir material para os candidatos a vereador da sigla, como havia combinado com a direção do PSL, Adideus decidiu renunciar e deixar de forma unilateral a campanha de Casale. “Não liberou nem santinhos para os candidatos”, reclamou. Como deixou a presidência da sigla e por não tem mais relação política com a campanha de Marco Casale, anunciou que vai apoiar a candidatura do prefeito Edinho Araújo (MDB). Procurado para dar a sua versão sobre a decisão de Adideus, Casale não se manifestou.

Dhoje Interior

Lula

O ex-presidente Lula da Silva enviou mensagem de apoio para a companheira de partido Celi Regina da Cruz (PT), que disputa as eleições para prefeita. A candidata informou que a própria assessoria de Lula enviou a mensagem, já divulgada no horário gratuito na televisão. “O ex-presidente honrou nossa candidatura com sua mensagem especial”, diz. Militante antiga do PT, Celi disse que Lula conhece a sua história de luta e sua capacidade de ser uma política ética, que preza a democracia e luta pelos trabalhadores.

Reforço

Celi diz que a mensagem de Lula é um reforço à defesa da democracia em um momento que ocorre retrocesso e a volta da pobreza extrema. “Ter a presença de um ex-presidente reconhecido por suas políticas de distribuição de renda no atual contexto, em que a extrema-direita nega até o direito à vacinação para salvar vidas nesta pandemia, é importante”, diz. Acrescenta:  “O rio-pretense que sonha com o avanço da ciência, educação, saúde e alimentação para todos, poderá se identificar com nossos compromissos com o povo”.

Rasteirinha

O secretário de Governo, Jair Moretti, que está em quarentena na sua casa por ter contraído covid-19, com sintomas leves, disse que está bem. Falando sobre o atual contexto da campanha eleitoral, Moretti disse que o prefeito Edinho Araújo (MDB) está bem na disputa pela reeleição. “Estamos bem posicionados, mas usando rasteirinha, nada de salto alto”, fez questão de frisar. Como o atual governo está bem avaliado, Moretti prevê que é boa a possibilidade de vitória. “Queremos vencer dentro da ética, que sempre nos pautou”, pontuou. 

Tabelinhas

A situação do prefeito Edinho Araújo (MDB) nesta reta final de campanha eleitoral promete ser complicada por causa dos ataques dos adversários. O prefeito sofreu um bombardeio dos adversários no debate promovido pela OAB, na terça-feira. Afinal, foram nove contra um! Edinho não teve nenhum concorrente amigo para fazer algumas ‘tabelinhas’, a fim de escapar dos ataques. Em campanhas passadas, ocorreram acordos entre candidatos para um levantar a bola para o outro cortar. Na atual disputa, parece que não tem fogo amigo.

Sem partidarizar

O deputado Geninho Zuliani (DEM), eleito por Olímpia, se posicionou contra a decisão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que recuou ao dizer que não vai comprar as 46 milhões de doses da vacina CoronaVac de origem chinesa, porém, que será produzida pelo instituto Butantan. A decisão dele se deve a rixa política com o governador João Doria (PSDB). “Não é hora de partidarizar a escolha da vacina, é preciso fazer os investimentos necessários, salvar vidas, retomar a economia para gerar empregos”, diz Geninho.

Temeroso

Analistas políticos dizem que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vetou a introdução da CoronaVac por temer o crescimento político do governador João Doria (PSDB) a nível nacional, já que ele é o responsável pelo acordo com o laboratório chinês Sinovac para produzir a vacina em parceria com o instituto Butantan. Ao politizar a vacinação contra a covid-19, os analistas afirmam que o presidente está deixando a proteção à saúde do povo para segundo plano. O povo quer a vacina e Doria surfa na onda…

Ar insuportável

Um relatório produzido por três entidades da sociedade civil mostra que, no ano passado, 2.195 pessoas foram internadas em hospitais públicos da região amazônica com problemas respiratórios decorrentes da fumaça das queimadas. Diante desses dados, pesquisadores cobraram do governo ações mais efetivas para conter o desmatamento e os focos de incêndio. Intitulado “O Ar Insuportável”, o documento revela que as consequências das queimadas para a saúde atingem principalmente crianças, idosos, gestantes e quem tem doenças pulmonares ou cardíacas pré-existentes. Das internações registradas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) na região como decorrentes da fumaça, 21% foram de bebês de até 1 ano e 49% de idosos. Como as queimadas foram recordistas este ano, o relatório irá apontar dados alarmantes em 2022.

Por Venâncio de MELLO – Redação jornal DHoje Interior