Confira ‘Nos Bastidores da Política’ desta quinta-feira (9)

Solta voz

Liberato Caboclo soltou a voz na noite da última terça-feira para alegrar os vizinhos, que estão reclusos por causa da pandemia provocada pelo coronavírus. Como domina muito bem o inglês, o ex-prefeito, da janela do seu apartamento, interpretou a música ‘My Way’ (Meu Jeito), gravada pelos saudosos cantores Elvis Presley e por Frank Sinatra. Caboclo, com seus 82 anos, poderia ir ao programa do Ratinho, ‘Dez ou Mil’, para ser testado por Décio Piccinini e Arnaldo  Saccomani… não iria fazer feio!

Dhoje Interior

Sob controle

O superintendente Jair Moretti, do Riopretoprev (Regime Próprio de Previdência Social), disse que a instituição está orientando, pelo WhatsApp, os beneficiários neste período de pandemia, gerada pelo vírus que veio da China. Moretti informou que são 1.368 aposentados e 248 beneficiários do regime de previdência, todos com mais de 60 anos, faixa etária mais vulnerável ao coronavírus. “Na faixa etária de 80 a 100 anos, temos um contingente respeitável e todos estão nos surpreendendo”, ponderou.

Cadastrou?

O que se mais ouve nas ruas é a palavra ‘cadastrou?’. É a preocupação entre eles se conseguiram cadastrar no programa do governo federal, que começa a liberar ajuda de R$ 600 a partir de hoje, para amenizar os efeitos negativos do coronavírus. Agora, não basta cadastrar, porque haverá cruzamento de dados para identificar quem encaixa ou não no programa. O tributarista Ita Adão baixou o aplicativo e redistribui para que todos fizessem o mesmo: “É uma corrente para facilitar a vida do pessoal.”

 

Disponibiliza

A Câmara de Rio Preto vota na sessão de hoje projeto do prefeito Edinho Araújo (MDB), que disponibiliza áreas para serem vendidas para fins comerciais, espalhadas por toda a cidade. O secretário de Governo, Jair Moretti, informou que são áreas com metragens entre quatro mil a sete mil metros quadrados. As áreas, segundo Moretti, têm valor estimado em R$ 10 milhões e só podem ser vendidas por meio de licitação. “É por adesão, ou seja, o interessado escolhe a área e faz a oferta”, esclareceu.

DC lança

O Democracia Cristã (DC) vai divulgar no próximo domingo o nome do pré-candidato a prefeito, que disputará as eleições em outubro. O presidente municipal da sigla, Adilson Feliciano, disse que o nome só será divulgado durante o evento. “O nome ainda será mantido em segredo, coisas da política”, brincou. Apesar de manter segredo, Feliciano antecipou que o pré-candidato, que irá representar o DC, vai surpreender o meio político. Feliciano segue a estratégia do presidente nacional do DC, José Maria Eymael.

Peso das costas  

A Prefeitura começou a entregar ontem alimentos perecíveis para as famílias dos alunos da rede municipal de ensino, que ficaram sem merenda. Os kits contêm pão, mandioca, alface, laranja e maçã. Os kits com alimentos não perecíveis foram entregues no mês passado. A distribuição ficou sob a responsabilidade da Secretaria da Agricultura, comanda pelo secretário Pedro Pezzuto. A entrega dos alimentos, segundo um governista, “tirou um peso das costas” do prefeito Edinho Araújo (MDB).

Troca de farpas

A direção do PSOL entrou com ação na Justiça pedindo para que sejam suspensas medidas do prefeito Edinho Araújo (MDB), que liberam o funcionamento das feiras livres e também de cultos religiosos. Segundo a nota, a decisão “é irresponsável e criminosa”, por desrespeitar orientação da Organização Mundial da Saúde e decreto do governo do estado. O vereador Anderson Branco (PL) saiu em defesa do prefeito, dizendo que o coronavírus já estava propagando e o PSOL promovia carnaval na Boa Vista.

Balela

Para político de baixo calibre, não importa se o vírus esteja ou não aterrorizando o povo. O que interessa é explorar a fraqueza do povo e ganhar dividendos políticos em cima do vírus, que escapou do pobre morcego chinês. A conversa de Luiz Henrique Mandetta (Saúde), que médico não abandona paciente, é balela. Bom de discurso, ganha notoriedade e o DEM já pensa no seu nome para Presidência em 2022. Bolsonaro entrou em dividida, em seara que não domina, acabou diminuído pelo subalterno.

Por Venâncio de MELLO