Confira ‘Nos Bastidores da Política’ desta quinta-feira (04)

Reforçar

A presidente municipal do Psol, Luciana Fontes (foto), informou ontem que continua com as tratativas para firmar aliança com outras siglas, a fim de reforçar a pré-candidatura de João Paulo Rillo na disputa pela Prefeitura. O foco, segundo ela, é chancelar alianças com partidos de esquerda como PT, PCdoB, PSTU e PCB. “Com o PCdoB a coligação já é oficial”, revelou. Os partidos menores, apesar de não terem tempo no horário gratuito no rádio e televisão, Luciana diz que são importantes devido aos movimentos sociais.

Dhoje Interior

Regredir

O secretário da Saúde, Aldenis Borim, foi enfático ao dizer que se a população não colaborar, evitar aglomerações, distanciamento e usar máscaras, Rio Preto poderá ser classificada na fase 1, que só libera atividades essenciais, como supermercados e farmácias. A flexibilização, na fase 2 (laranja), começou segunda-feira, porém, as pessoas, no Calçadão, não respeitam as medidas de segurança, reclamou Borim. “É uma fonte de transmissão (do vírus) inesgotável”, alertou. “Os dados são preocupantes”, acrescentou.

Véspera

Como o comércio ficou fechado por mais de dois meses por causa da pandemia, com a retomada das atividades as pessoas se aglomeram nas lojas como se fosse a semana que antecede o Natal. O secretário Aldenis Borim informou que os casos de contaminações e de internações aumentaram nos últimos dias. “Não se aglomera, fique em casa”, reiterou, acrescentando que a flexibilização não significa que tudo voltou ao normal. Diante do descaso dos consumidores, que não temem o vírus, diz que o comitê vai tomar providências.

Ciclo do fogo

O período de seca começou e com ele vem o temido ciclo do fogo que surge pelos quatro cantos do país. Em Rio Preto, não poderia ser diferente, os incautos não podem ver uma moita de capim seco que não pensam duas vezes: põem foco só para ver a fumaça subir, poluindo o ar, atingindo de forma nefasta as pessoas que sofrem de asma, alergia e de problemas respiratórios. Entra ano e sai ano a conduta não muda em hipótese alguma. Lei existe, portanto, falta fiscalização e até investigação para identificar os culpados.

Devastadas

As reservas começam a ser devastadas por incêndios criminosos pelo país. É o caso do bioma do Pampa gaúcho, Pantanal e a Mata Atlântica. É praxe as ações nefastas dos gananciosos que querem enricar às custas dos recursos naturais. O diabo é que governadores, prefeitos e o governo federal são lenientes com a devastação. O ministro Ricardo Salles (Meio Ambiente) demonstra ser inimigo da selva amazônica. Fiscal do Ibama, que multa infrator, é dispensado sumariamente. Um dia a selva acaba e a seca vai devastar…

Incógnita

As medidas restritivas afetam a popularidade dos prefeitos que vão disputar reeleição em outubro, podendo influenciar de forma negativa o desempenho nas urnas, em contrapartida, existe a expectativa de efeito positivo em reduzir o número de mortes pela covid-19. É o caso do prefeito Edinho Araújo (MDB), que está acuado, porém, com foco no controle da pandemia para poupar vidas. Agora, é uma incógnita! Será que o eleitorado vai levar em conta que as ações foram necessárias para reduzir as mortes?  A conferir…

Garras 

Apesar de estar afastado do embate político desde as eleições de 2018, quando perdeu a disputa para deputado federal, Valdomiro Lopes (PSB) continua deixando adversários políticos em alerta. Muitos acreditam que no momento certo o ex-prefeito colocará as garras para fora e entrará na disputa pela Prefeitura. Um interlocutor, que mantém contato com ele, reiterou que essa possibilidade está fora de contexto. O foco do ex-prefeito, segundo ele, são as eleições de 2022, para deputado, ou para prefeito em 2024.

Fracas

A previsão é que pré-candidatos a vereador que almejam cadeiras na Câmara poderão ser bem votados, porém, correm risco de não se elegerem. O mesmo acontece com vereadores que vão disputar a reeleição. Motivo: chapas de pré-candidatos consideradas fracas, ou seja, muitos pré-candidatos não têm históricos de boa votação em eleições passadas, outros nem foram testados nas urnas. Para não despertar ira, as siglas não serão declinadas. Agora, os partidos que poderão colher bons resultados na disputa são MDB, PP e PL.

Por Venâncio de MELLO