Confira ‘Nos Bastidores da Política’ desta quarta-feira (16)

Não deu outra

Como a coluna vinha divulgando nos últimos dias que o PSDB poderia se aliar ao MDB para apoiar a candidatura de Edinho Araújo (foto) à reeleição, a informação foi concretizada ontem. A decisão partiu do presidente estadual do partido, Marco Vinholi, com o aval do govenador João Dória, que esteve em Rio Preto para inaugurar a sede da DEIC. A disputa do PSDB pela Prefeitura acabou com a desistência de Renato Pupo no último sábado. Para buscar uma saída um tanto drástica, a direção da sigla anunciou como substituto Denílson Marchezoni, porém, não prosperou para chegar à convenção do partido que será realizada hoje. A decisão da alta cúpula do PSDB, segundo um tucano, reconheceu no governo Edinho uma liderança comprometida e responsável. “Tenho que agradecer e dizer que me sinto honrado com os apoios recebidos”, disse o prefeito.

Dhoje Interior

Atirando

O presidente do PSDB, Manoel Gonçalves, confirmou a decisão da direção estadual se limitou a dizer: “Procede”. Já o empresário Denílson Marzochi, que permaneceu como pré-candidato por três dias, saiu atirando. No grupo do PSDB, Marzochi não poupou adjetivos para desqualificar Marco Vinholi e também ao ex-deputado Vaz de Lima. “Esse … do Vinholi que não apareça na minha frente, lazarento, maldito, safado”, prosseguiu com artilharia pesada contra Vaz e Dória. Sobrou até para o ex-ministro Aloyzio Nunes Ferreira.  

Último dia

O prazo determinado pela legislação eleitoral para promover convenções termina hoje. PP, PSC, PTC, PSL, PSDB, Cidadania e Pros vão realizar suas reuniões para oficializar candidaturas a prefeito, vice, chapas de vereadores e coligações com outras siglas. A direção do PSL promete lançar candidatura própria para prefeito. PP, PTC, DEM, PSDB, Cidadania e Pros vão chancelar suas chapas de vereadores e as coligações. O DEM oficializou segunda-feira à noite o ex-deputado Orlando Bolçone como candidato a vice de Edinho Araújo (MDB).

Sob controle

O presidente do PP, Paulo Pauléra, que está em quarentena por ter testado positivo para covid-19, informou que a convenção do partido será promovida pelo sistema remoto. “Está tudo sob controle”, diz o progressista, que vai disputar a reeleição. O partido vai chancelar na convenção a aliança com o MDB para disputar as eleições majoritárias e a chapa de vereadores. O PP vai lançar chapa completa com 26 candidatos ao Legislativo. Sobre o seu estado de saúde, Pauléra revelou que está bem: “Só uma leve dor de cabeça”.

Encruzilhada

O presidente do PTC, Adideus Cardoso, se reuniu ontem com Jair Moretti para tentar uma aliança com o MDB, afim de apoiar Edinho Araújo à reeleição. Adideus diz que não teve acordo e tudo será definido na convenção do PTC, que será promovida hoje à noite. A base do partido, diz ele, vai decidir se aceita a proposta do MDB ou se adere a pré-candidatura a prefeito de Marco Casale (PSL). “Estamos numa encruzilhada”, comparou. Danila Azevedo seria a representante do PTC, porém, sua pré-candidatura foi descartada.

Impasse

O emedebista Jair Moretti conversou ontem também com o presidente do PSC, Paulo Neto, que pretende fechar acordo com o MDB.  “Não está dando certo, provavelmente acho que vamos caminhar sem eles”, diz Moretti, se referindo ao PSC e PTC. O impasse que dificulta o acordo não foi revelado pelas partes, no entanto, a coluna apurou que os dirigentes partidários querem apoio financeiro para bancar a campanha de suas chapas de candidatos a vereador. O barco do Edinho está lotado e não tem ‘colete salva vida’ para todos.

Decepção

O vice-presidente Hamilton Mourão contestou os dados do INPE sobre as queimadas na região da Amazônia e creditou a informação negativa ao governo como sendo de um funcionário ‘opositor’. Os dados são divulgados diariamente na página do INPE. Com esse discurso negacionista, Mourão quer tapar o sol com a peneira, ou melhor, com a fumaça que tem tomado conta do céu brasileiro por causa das queimadas arrasadoras. Como presidente do Conselho Nacional da Amazônia, Mourão é uma decepção. O meio ambiente não merece isso!

Crise ambiental

Neste período de leniência com as queimadas começando pelo governo federal e também pelos governadores do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Acre e Rondônia, o escritor rio-pretense Vismar Kfouri, que atuou por 46 anos na Calha Norte, lutando contra grileiros, madeireiros, garimpeiros e pecuaristas mancomunados com políticos, revelou que até hoje as riquezas minerais escapam ilegalmente como areia dos dedos, em direção à Europa pela fronteira da Venezuela, tudo devido ao conluio de funcionários públicos corruptos. Kfouri diz que o governo militar errou ao abrir a rodovia Transamazônica. “Deveria ter criado cidades fronteiriças para proteger aquela região”, concluiu.

Por Venâncio de MELLO – Redação jornal DHoje Interior