Confira ‘Nos Bastidores da Política’ desta quarta-feira (15)

Opções

Sobre a escolha do futuro pré-candidato a vice-prefeito, já que o atual vice Eleuses Paiva (PSD) desistiu de concorrer, Edinho Araújo (MDB, foto) não vai se manifestar, diz um assessor de sua equipe. A informação é que o prefeito vai decidir com calma, porém, as opções são poucas. Por ter sido secretário do Planejamento nos dois primeiros mandatos (2001 a 2008) do seu governo, Orlando Bolçone (DEM) está entre os cotados para ser o pré-candidato a vice. Neste caso, teria o aval do vice-governador Rodrigo Garcia (DEM). 

Dhoje Interior

Pessoal

Paulo Pauléra diz que a escolha do novo pré-candidato a vice da chapa a ser encabeçada por Edinho Araújo (MDB), na disputa pela reeleição, é uma decisão exclusiva do prefeito. “Vice não se impõe, é uma decisão pessoal do prefeito”, diz Pauléra, que é presidente do Progressistas, partido aliado do governo na Câmara. Frisou, no entanto, que os partidos aliados (Progressistas, Patriota, PSD e PTB) também têm filiados com capacidade para indicar o candidato a vice. Lembrou ainda que o DEM, PL e PTB também podem ser acrescentados na lista.

Interesse 

Analisando a possibilidade de o pré-candidato a vice ser capitado no grupo de partidos aliados, Paulo Pauléra declarou que o Progressistas tem interesse que o nome saía do quadro de filiados do partido. “Agora, o Progressistas tem legitimidade para isso”, disse, acrescentando que ele próprio está habilitado para exercer o cargo. “Fui secretário e três mandatos como vereador”, frisou, acrescentando ainda que o empresário Osmair Guareschi, filiado ao Progressistas, também tem capacidade para ser escolhido como pré-candidato a vice do emedebista. 

Meta 

O presidente da Câmara, Paulo Pauléra, disse que a sua meta é se reeleger como vereador nas próximas eleições. “O Progressistas vai dar o respaldo para ele (prefeito Edinho)”, garantiu. Ao ser indagado sobre a possível escolha de Orlando Bolçone como pré-candidato a vice, Pauléra se limitou a dizer que o DEM, atual partido do ex-deputado, como o PL, do vereador Fábio Marcondes, também são partidos que pode dar respaldo para o prefeito Edinho na disputa pela reeleição. “Muita coisa pode acontecer”, desconversou. 

Surpresa 

O presidente do Patriota, Ulisses Ramalho, diz que recebeu a informação da desistência de Eleuses Paiva (PSD) com surpresa. “Mas respeitamos os motivos dele (Eleuses)”, frisou. Ramalho, no entanto, revelou que não tem ideia de quem será o escolhido para compor a chapa a ser encabeçada por Edinho Araújo (MDB). “Acredito que o prefeito chamará os partidos da base para conversar”, espera. “O Patriota sempre foi o partido de primeira hora e tem pessoas competentes para indicar”, disse, enaltecendo a força da sigla. 

Excelente

O presidente do MDB, Pedro Nímer, disse que ficou surpreso com o anúncio do atual vice-prefeito Eleuses Paiva (PSD) em desistir de concorrer nas próximas eleições. “Ele sempre teve o respeito e é uma pessoa querida no governo”, revelou. Agora, a escolha do novo candidato a vice, segundo ele, é uma questão pessoal do prefeito. Falando sobre a possibilidade de Orlando Bolçone (DEM) ser escolhido para concorrer como vice na chapa emedebista, declarou que ele tem um conceito excelente, como têm outros postulantes. 

Convenção 

Orlando Bolçone (DEM) disse que seu destino político será definido na convenção do partido. Até lá, diz que continua como pré-candidato a prefeito, como foi acordado com o vice-governador Rodrigo Garcia, antes de sua filiação à sigla. “Na convenção será definido o que o partido pretende”, disse. O ex-deputado ressaltou, porém, o que for decidido terá que ter a sua anuência, por exemplo, disputar o processo eleitoral como vice na chapa de Edinho Araújo. As convenções acontecem entre 31 de agosto a 16 de setembro.

Inimigo

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu a transparência da divulgação dos dados sobre desmatamento pelo governo e o fortalecimento das ações de fiscalização na Amazônica. Maia participou ontem de reunião com Grupo de Fundos de Investimentos Estrangeiro para debater questão ambiental e afirmou que é importante reafirmar os acordos que o Brasil assinou nos últimos anos. Como homem forte do Congresso, Maia deveria pedir a exoneração do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, inimigo da natureza.

Por Venâncio de MELLO – Redação jornal DHoje Interior