Confira ‘Nos Bastidores da Política’ desta quinta (07)

Convoca

Marco Rillo (PSOL) voltou a cobrar uma posição do Executivo sobre a convocação dos aprovados no concurso para preencher cargos na Educação. O vereador protocolou requerimento convocando os secretários Luís Thiesi (Administração) e Sueli Costa (Educação) para prestarem esclarecimentos sobre o adiamento da convocação. A Prefeitura já havia informado que os convocados não assumiram seus cargos devido a suspensão das aulas por causa do coronavírus. Se for aprovado, eles serão ouvidos na sessão em 19 de maio.

Dhoje Interior

No páreo

Já tem muita gente trabalhando firme com o propósito de disputar as eleições em outubro, caso não sejam adiadas, pelo TSE, por causa da pandemia. Serão vários candidatos, dentre eles está o prefeito Edinho Araújo (MDB), que vai disputar a reeleição. Pela disposição, também estarão no páreo João Paulo Rillo (PSOL), Renato Pupo (PSDB), Rogério Vinicius (DC), Antônio Pereira, o Cebolão (PMN), Danila Azevedo (PTC), Kawell Lott (Podemos) e por aí vai. E o ex-prefeito Valdomiro Lopes, PSB (?). Continua uma incógnita!

Nebuloso

Apesar de favorito em todas as apostas, o prefeito Edinho Araújo (MDB) até o momento não confirma se será ou não candidato. Ao ser indagado sobre o assunto, sempre desconversa e repete como um mantra que seu foco é administrativo. Para o prefeito, estava indo tudo bem, até que surgiu o vírus que veio da China. O que vai acontecer daqui para a frente ninguém sabe. Tudo está muito nebuloso! No caso do prefeito, porém, talvez a postergação das eleições seria favorável, ou seja, dar tempo para liquidar com o vírus.

Tratativas

Enquanto a ação do coronavírus não permitir reuniões para discutir as alianças partidárias com o propósito de disputar as eleições majoritárias, as tratativas continuam por meio do WhatsApp, segundo o presidente do MDB, Pedro Nimer. Até agora, Nimer disse que está confirmado o apoio do Patriota, PSC e do PSD, esta sigla do vice-prefeito Eleuses Paiva. “Esses partidos já estão apoiando o governo”, diz. Assim que a pandemia for superada, Nimer diz que as reuniões com outros dirigentes serão retomadas para ampliar a aliança.

Deu nisso…

Os partidários do presidente Bolsonaro (sem partido) até podem discordar, mas a posição dele de ser contra o isolamento social, para proteger a economia, provocou racha na população. Por ser presidente, sua palavra ecoou como se fosse uma lei e um grande número de pessoas passou a ser resistente ao isolamento para controlar o vírus. Conclusão, se todos tivessem seguido as orientações das autoridades da saúde, o isolamento poderia estar chegando ao fim. A resistência deu nisso: ninguém sabe quando isso vai acabar.

Mobilizam

Os profissionais do setor de academias se mobilizaram, ontem, com o objetivo de chamar a atenção do prefeito Edinho Araújo (MDB) e do governador João Doria (PSDB) para incluir a atividade como essencial para a saúde da população. “Nosso trabalho é fundamental para prevenir a covid-19 e de outras doenças”, disse Gustavo Musa Lemes, líder da iniciativa. O apelo, feito pela rede social, diz ainda que os profissionais das academias estão capacitados para orientar seus clientes no enfrentamento ao novo coronavírus.

Reforço

O vice-presidente do PTC, Adideus Cardoso, informou que oito partidários do Aliança Pelo Brasil, partido que está sendo criado para abrigar o presidente Jair Bolsonaro e aliados, se filiaram ao partido para disputar as eleições em outubro. A APL ainda não cumpriu as exigências do TSE para que filiados disputem as eleições. Entre os que foram para o PTC, está Danila Cintia Azevedo, pré-candidata a prefeita. “É um ótimo reforço para o nosso partido”, diz. Integrantes da ALP também foram para o PSTB, do polêmico Levy Fidelix.

Cuidado…

Qualquer político que usar a rede social como plataforma para divulgar suas ideais com o propósito de se eleger ou reeleger, precisa usar a ferramenta com sabedoria. Se postar propostas mirabolantes achando que poderá colher bons frutos, vai dar com os burros n´água. O então candidato Jair Bolsonaro, que soube usar o nome de Deus na sua campanha, se deu bem. Em Rio Preto, pré-candidatos a prefeito, que não têm tempo de rádio e de TV, adiantam que o foco de suas campanhas será na rede social. Cuidado…

Por Venâncio de MELLO