Conexão Capivara: SEM PARTIDO, COM VIOLÊNCIA…

Grupo de whatsapp criado para reunir os apoiadores do projeto Escola Sem Partido, que tramita na Câmara de Rio Preto, foi desativado nesta quarta-feira (4) após ameaças de violência contra simpatizantes da esquerda. Os diálogos, aos quais o Conexão Capivara teve acesso, revelam que parte dos integrantes estava disposta a agredir fsicamente os adversários políticos (confra reprodução acima).

O grupo foi criado por integrantes do Movimento Brasil Livre (MBL), entre eles André Marujo, que é de Campinas e foi convidado a participar da audiência pública na última segunda-feira (2) na Câmara de Rio Preto. Marujo, aliás, foi retirado da mesa de autoridades por ordem do presidente da Comissão de Educação, Jorge Menezes (PTB), após tumultuar o discurso do deputado estadual João Paulo Rillo (PT), contrário à proposta.

O objetivo do grupo de whats era mobilizar o maior número possível de pessoas favoráveis ao projeto de autoria do vereador Jean Dornelas (PRB) que se propõe a acabar com a doutrinação política e ideológica dentro da sala de aula. Muitos dos integrantes atenderam ao chamado pela rede social e compareceram em peso à audiência pública, marcada por xingamentos, ameaças e acusações entre os
favoráveis e os contrários ao projeto – estes, compostos na sua maioria por professores, alunos, sindicatos e petistas.

As conversas, que eram no começo eram direcionadas a traçar estratégias sobre a aprovação do projeto na Câmara, descambaram para ameaças de violência explícita contra grupos de esquerda ontem. Em um dos diálogos, um dos integrantes afrmou que, na audiência pública do dia 2, havia dois policiais à paisana armados no grupo que defendia o Escola Sem Partido. Outro disse ainda: “Farei carinho de mão aberta e fechada neles! O João Paulo Rillo será o primeiro kkkkk”.

Outro integrante do grupo foi além: “Antes eu atirar primeiro que levar o primeiro tiro. Ninguém aqui é burro o bastante para tratar ladrão e bandido com flores”, em referência aos partidos de esquerda. Alguns dos participantes censuraram os colegas extremistas,
afrmando que a violência não era o caminho, mas foram chamados de “espantalhos”. “Já entendi que você prefere apanhar, não precisa repetir”, destacou um dos integrantes que pregava “ir para o pau” contra os “comunistas”. Por fm, às 17h16 de ontem, André Marujo resolveu desativar o grupo, alegando que ele já tinha atingido o objetivo. “Foi incrível a mobilização da sociedade de São José do Rio Preto, demonstraram o amor que tem pelo Brasil e acima de tudo a preocupação que vocês têm pelos seus flhos. Temos de estar juntos para aprovar o Escola Sem Partido e acabar com a doutrinação das escolas de Rio Preto. Nós já atingimos o objetivo e por isso vamos dissolver o grupo”

 

Clique aqui e confira na íntegra a página Conexão Capivara desta quinta-feira(05)

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS