Conexão Capivara: Puxão de orelha

O prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo (MDB), aproveitou ontem (20) a posse do novo presidente da Emurb, Rodrigo Juliano, para fazer uma cobrança pública do seu secretariado. O recado de Edinho veio um dia após ele ser hostilizado no corte do bolo de 166 anos de Rio Preto, na Swift, por grupos de moradores das favelas da Vila Itália e do Brejo Alegre.

O tom do prefeito não foi dos mais amenos, e ficou claro que ele anda insatisfeito com o desempenho da sua equipe em geral. Edinho ressaltou que circula por Rio Preto e que está “atento” às necessidades não atendidas pela Prefeitura. “Eu ando a cidade e há muita coisa a se fazer. Temos muito trabalho em termos de organização, algo que não aparece ainda”, afirmou o prefeito. Disse ainda em “correção de projetos” para poder “exteriorizar o governo”.

“Atento”, aliás, foi a palavra utilizada por Edinho em ao menos quatro ocasiões na rápida entrevista que deu à imprensa logo após a posse de Juliano. “Nós estamos muito atentos. Eu trabalho 17 horas por dia, não tenho sábado e não tenho domingo. E eu quero em momento como esse, na posse de um novo integrante, que os colaboradores sintam que eu estou muito atento a todas as questões”, disse o prefeito.

Edinho, claro, negou que seu discurso fosse uma reprimenda pública – afirmou que está satisfeito com a equipe. Mas quem conhece o prefeito sabe que ele não externaria algo assim se realmente estivesse feliz com o desempenho do secretariado. Destacou que falta investimento em equipamentos e que é necessário colocar os prédios públicos em condições ideais. “Eu sinto que falta isso, é um trabalho cotidiano. Falo isso para colocar um pouco de energia em todos os colaboradores, reconheço a seriedade e a competência que temos”, afirmou Edinho.

Sobrou também para a Educação e as mais de 40 invasões em escolas municipais verificadas desde setembro do ano passado. “É preciso colocar tecnologia, colocar o que for possível de câmeras e estar sempre presente. São 40 mil crianças, o que exige dedicação e todo mundo muito atento, com uma população cada vez mais exigente”, finalizou.
Quem conhece o prefeito sabe que um pingo é letra. E que o puxão de orelha ontem é muito mais do que apenas um recado despretensioso. A cobrança nas ruas e nas redes sociais tem desgastado demais a imagem do governo. E quem não estiver atento, como Edinho diz, corre o sério risco de entrar na mira de uma possível reforma do secretariado.

Clique aqui e confira na íntegra a coluna desta quarta-feira (21)

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS