Conexão Capivara: Polvorosa na Educação

Anúncio de uma escola de preparação para concursos públicos, com aulas pela internet, provocou polvorosa na Secretaria de Educação de Rio Preto e entre professores em geral, com mobilização nos grupos de WhastApp.

Tudo começou quando uma das proprietárias da AIOA Concursos Online postou no Facebook a foto da professora Maria Angélica Quitério que, segundo o texto da postagem, já estava gravando videoaulas sobre legislação para concursos.

Dhoje Interior

Ao lado da foto, a informação de que o curso estará disponível “em breve” no portal aioaconcursosonline.com.br. Maria Angélica é apresentada como uma “expert em legislação educacional” e a escola diz que tem “experiência em ministrar cursos para concursos”.
Acontece que Maria Angélica Quitério, a professora que aparece na imagem diante de uma câmera de vídeo, está há quatro meses lotada como assessora especial da Secretaria de
Educação de Rio Preto, ou seja, é uma das colaboradoras de confiança da secretária Sueli Costa. E a pasta acaba de anunciar um megaconcurso público com nada menos que 525 vagas, sendo 495 para professores de educação básica 1 (PEB 1), 24 coordenadores pedagógicos, três diretores de escola e três supervisores de ensino.

Claro que o duplo papel de Maria Angélica provocou uma gritaria gigante da parte de muitos que consideraram inadequada a relação, ainda que o processo seletivo esteja por conta da Vunesp. Segundo o promotor de Justiça Sérgio Clementino, Maria Angélica,
ou qualquer outro funcionário da pasta, pode ter a dupla jornada desde que fique totalmente comprovado que não há nenhuma relação entre o que ela faz na secretaria e o concurso. Ainda assim, segundo o promotor, a situação é inoportuna, porque cria uma sombra de desconfiança sobre o processo. “Politicamente é um problema”, afirma.

Quase duas horas após ser questionada pela coluna, a Secretaria da Educação, por meio de sua assessoria de imprensa, afirmou que a professora Maria Angélica não participará da
comissão do concurso. Afirmou também que ela não dará aulas a nenhum cursinho tendo em vista a preparação para a seleção pública. Ainda segundo a assessoria, a escola teria apresentado a professora “por engano”, já que Maria Angélica faz parte do quadro de profi ssionais da AIOA.

A secretária aproveitou a confusão para informar que nenhum funcionário da Educação está liberado para atividade do gênero. Pelo sim, pelo não, parece o melhor para a paz de espírito de Sueli. Afonal, é a história da canja de galinha, não?

 

Clique aqui e confira na íntegra a coluna deste terça-feira(17)